Recent Posts

A curiosa e mal explicada estória do 'perdido' que deram na cantora Roberta Miranda

By Luiz Valério → domingo, 17 de dezembro de 2017
A cantora Roberta Miranda registrou boletim de ocorrênca na Central de Flagrantes de Boa Vista, depois de ficar perdida por mais de três horas numa estrada escura
A pergunta que não quer calar é: quem é e de onde saiu esse motorista que deu “um perdido” na cantora Roberta Miranda, dizendo que se perdeu (desculpem a redundância) numa das estradas da região do Cantá, deixando a artista em pânico durante cerca de três horas. Roberta Miranda postou vídeos no meio do mato, numa estrada esburacada e escura e depois na delegacia, onde disse que o irmão do contratante a ameaça de processo. Isso porque a cantora não conseguiu se apresentar na Festa do Abacaxi, tradicional da vila Serra Grande 2, no município vizinho a Boa Vista,  conforme relata o G1 Roraima,

Num abacaxi meteram mesmo foi a artista, que se disse abalada psicologicamente. Ela registrou o ocorrido na Central de Flagrantes, em Boa Vista. “Então fãs, é assim, estou aqui na delegacia, mesmo cansada… Mas não tem problema, vocês conhecem a Roberta há 31 anos e sabem como é que é. Já subi no palco tomando injeção, diprospan, já fiquei mal, vocês conhecem… Eu tenho uma imagem ilibada para dizer o que aconteceu. Está (sic) aí os vídeos, estou mandando todos. Estou aqui na delegacia, o delegado, todas as pessoas ouvindo a Roberta… A única coisa que eu fiquei chateada foi um cidadão, irmão do contratante, que disse que ia me processar. Processar do que mesmo (sic)? De eu passar mal? Processar por eu ficar três horas e meia dentro do mato?”, questionou a cantora no vídeo abaixo.

Me soa extremamente estranho que um motorista que vive e dirige em Roraima não saiba o caminho que leva até o Cantá, mas não só isso. Ele também não sabia pedir informação, fazer uma ligação de celular, usar um aplicativo de mensagem, o WhatsApp, o Google Maps, nada? Esta estória está muito mal contada. Parece claro que aplicaram para cima da Roberta Miranda, que agora vai sair espalhando por aí, com certa razão, que os artistas que vêm ao estado são tratados com amadorismo.

Teatro Municipal: uma obra cara, mas imprescindível para a cultura

By Luiz Valério → sábado, 16 de dezembro de 2017
Finalmente o Teatro Municipal de Boa Vista foi entregue à população da capital. Uma obra majestosa, diga-se de passagem, apesar de muito cara. A abertura oficial do teatro ocorreu em meio às polêmicas que permeiam a sua construção desde sempre. Primeiro foi a demora para ficar pronto. Depois de concluído, as críticas recaíram sobre o valor da obra - nada menos do que R$ 57,7 milhões - e os gastos com as atrações que foram contratadas para a inauguração, algo em torno de R$ 100 mil. Houve ainda o descontentamento da senadora Ângela Portela (PDT), que protestou pelo Facebook por não ter sido convidada para o ato inaugurativo. O fato é que a obra foi entregue a marcará um novo tempo para cultura roraimense, se for gerida com responsabilidade e profissionalismo.

Como entusiasta da cultura, como ex-membro do Fórum Permanente de Cultura de Roraima e um dos participante da primeira Conferência de Cultura realizada no estado, eu reputo da mais alta importância que uma capital como a nossa ganhe um teatro à altura dos melhores do Brasil, como está sendo atestado por autoridades da área. O esplendorosa projeto saído da prancheta do arquiteto Ariosto Andrade é, por si só, uma obra de arte da construção civil.

Pode-se questionar o valor gasto na obra ou como o teatro será mantido daqui para a frente (e isso é de fundamental importância, que fique claro), mas não dá para desdenhar do quanto a obra representa para a comunidade artística e cultural local. Agora, os artistas roraimenses terão um espaço digno da sua arte. São 1.100 lugares para abrigar plateias apaixonadas pelas mais diversas manifestações artísticas. Aliás, a sala de exibições foi batizada de Roraimeira, em homenagem ao trio de cantores e compositores Zeca Preto, Neuber Uchoa e Eliakin Rufino, que fundaram o movimento artístico homônimo. Homenagem mais que merecida.

A majestosa obra do Teatro Municipal custou quase R$ 58 milhões, mas coloca Boa Vista em evidência no cenário cultural brasileiro
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, presente à inauguração, qualificou o teatro como “uma obra magnífica” que se insere no contexto dos melhores teatros do país “e não deixa nada a dever aos teatros dos grandes centros urbanos do mundo como Berlim, Londres, Paris, Madri, Barcelona”. Sá Leitão, claro, aproveitou para vender o peixe do governo Temer, que ele representa, dizendo que a administração peemedebista está investindo muito em projetos culturais por todo o país. “Onde eu for, serei um embaixador desse teatro. Vou dizer aos grandes artistas e grupos do país que aqui tem um teatro dessa envergadura onde eles precisam se apresentar”, afirmou.

Um momento que me chamou a atenção foi quando o ministro conclamou a classe empresarial de Roraima para ajudar a manter a programação do teatro, financiando projetos culturais se valendo da Lei de Incentivo à Cultura. Segundo Sá Leitão, uma obra dessa envergadura precisa do envolvimento de todos para que possa dar certo e para que mantenha uma programação cultural à altura do investimento feito na construção. Segundo ele, a classe política pode e deve apresentar emendas parlamentares voltadas para a cultura de forma a permitir que o teatro tenha uma programação artística consistente.

Sá Leitão disse ainda que a cultura é uma das mais importantes e lucrativas engrenagens da economia atualmente. Ele destacou que a cultura tem um impacto positivo sobre a sociedade, inclusive na dimensão econômica, gerando emprego e renda. “As atividades culturais tem um peso de 2.69% no PIB do país” disse. “A cultura contribui para que o elo entre as pessoas se fortaleça, além de despertar o sentimento de pertencimento”, frisou.

Ao entregar o teatro, Teresa afirmou que ele estará aberto para todos os segmentos artísticos que queiram usá-lo e que o novo patrimônio cultural da capital está dotado de um teatro-escola e um centro de convenções para serem usados tanto pela classe artística quanto pela população. A prefeita agradeceu a todos os que colaboraram com a alocação de recursos para a construção do Teatro e destacou o papel importante que teve a senadora Ângela Portela que destinou verbas para a obra. "Não foi fácil construir esse teatro”, afirmou.

Caberá à sociedade local cuidar e cobrar para que o Teatro Municipal represente a pluralidade e diversidade da cultura local. E mais que isso: caberá à sociedade a preservação desse patrimônio e a decisão de fazer com que todo o investimento feito na obra valha à pena de fato.

A prefeita Teresa Surita disse que tirar o projeto do Teatro Municipal do papel não foi uma tarefa fácil

Romero Jucá anuncia acordo inexistente sobre reforma da previdência e é desmentido pelo governo

By Luiz Valério → quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Jucá está perdendo sua magestade até em nívem nacional. O líder do governo se arvorou em anunciar que a votação da Reforma da Previdência ficaria somente para fevereiro, mas foi desmentido de pronto pelo Palácio do Planalto por meio de nota. A declaração desastrada de Jucá inflienciou no humor do mercado, que entrou em parafuso. O anúncia também causou desentendimento na Câmara dos Deputados.

O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) de imediato veio a público para afirmar que não fez nenhum acordo com o Planalto para adiar a reforma da previdência. O relator da matéria, Arthur Maia também alfinetou dando a entender que ficou descontente com a decisão do senador peemedebista de anunciar algo que ninguém no Congresso tinha conhecimento. O entendimento geral é que Jucá atropelou o governo querendo ser mais importante que o “rei”.

Por sua vez o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) afirmou que não caberia a Jucá ou a outro membro do governo definir a pauta de votações do Congresso. Segundo Ribeiro, a definição de data deve ser feita por quem pauta e, de acordo com ele, não é o governo que pauta. “São os presidentes das casas. Eu, como líder do governo, não pauto o presidente da Câmara. Temos que esperar o presidente Temer, Maia e Eunício terem essa definição", afirmou.

Jucá anunciou um acordo para adiar a votação da Reforma da Previdência, mas foi desmentido pelo Planalto

Propostas de Linoberg Almeida eram vazias e tinham teor propagandístico, diz Renato Queiroz

By Luiz Valério →
Preocupado com a repercussão negativa alcançada pela rejeição da Câmara da Capital a um pacote de 50 propostas apresentadas pelo vereador Linoberg Almeida (Rede) à Lei Orçamentária Anual de Boa Vista e ao Plano Plurianual, o também vereador Renato Queiroz (PSB) busca explicar seu posicionamento, afirmando que faltou jogo de cintura para o colega no processo de convencimento dos parlamentares e disposição para dialogar e negociar a aprovação das propostas. Queiroz, que se colocou contra todas as 74 emendas apresentadas à LOA e ao PPA, afirma que algumas das propostas de Linoberg eram “vazias” e quem não diziam o que pretendiam de fato nem como seriam executadas.

Numa conversa prévia com este blogueiro antes de o gravador ser acionado, Queiroz chegou a acusar Linoberg de querer jogar para a plateia apresentando propostas que não seriam executadas porque a Câmara não tem poder de impor ao Poder Executivo a obrigatoriedade do cumprimento das emendas. “Ao contrário da Câmara dos Deputados, nós aqui não temos emendas impositivas. Logo, não tem como obrigar a prefeita a executar nada do que foi proposto. A peça orçamentária é virtual e acaba sendo modificada de acordo com as necessidades do Município”, disse o vereador. A apresentação de tantas propostas tem, para Renato Queiroz, um caráter muito mais propagandístico do que a intenção de trazer reais benefícios para a sociedade.

Renato Queiroz explicou que seu posicionamento, assim como os demais vereadores, contra as emendas apresentadas por Linoberg Almeida, foi uma atitude livre, própria de um regime democrático, sem que eles tenham sido orientados pela prefeita Teresa a proceder dessa forma. “Quando eu vou votar qualquer proposta aqui na Câmara, a última coisa que me interessa é o nome do autor. O que eu levo em consideração é o conteúdo e a eficácia da proposta. A recusa na minha votação de 99% das emendas foi com o objetivo de manter a coerência do orçamento. Posso ter até desapontado alguns nichos da população, porque particularmente não gosto de causar expectativa nas pessoas sem que se tenha objetividade na questão”, afirma.

Confira a íntegra da entrevista logo abaixo:


Segundo Queiroz, as emendas apresentadas por Linoberg estavam “tecnicamente perfeitas, mas vazias nas suas atribuições”. Ainda segundo o vereador, é desprovida de sentido a alegação de que a Casa, ao rejeitar emendas que destinavam recursos para campanhas de combate à violência contra a mulher estaria votando contra as mulheres. Esse foi um dos argumentos usado por Linoberg Almeida em plenário. Para o vereador do PSB nem sempre a apresentação de determinadas propostas quer dizer que o objetivo é, de fato, atender aos interesses da sociedade. No quesito cultura, Queiroz diz que vai trabalhar para buscar atender algumas demandas dos artistas de Boa Vista, como a criação do Conselho Municipal de Cultura. O parlamentar diz, no entanto, entender que determinados segmentos da classe artística se sintam desprestigiados pelo município, como é o caso da vertente conhecida como “cultura roraimeira”. Mas destaca: de uma forma geral, a percepção da população é que a atual administração tem tratado bem a cultura.

Para Renato Queiroz, o ambiente político não permitiu a aprovação das emendas apresentadas pelo vereador Linoberg Almeida. Os vereadores não teriam sido procurados por ele e convencidos. O autor das propostas que visavam alterar o Orçamento teria pecado por excesso de personalismo, no entendimento geral dos membros da Casa. “Nos temos aqui um grupo que apoia as ações da prefeitura, que chancela o que o povo chancelou no final de 2016. Numa votação recordista, nacionalmente falando, 80% da população boa-vistense disse acreditar que a prefeita Teresa era merecedora de um novo mandato à frente da Prefeitura de Boa Vista... Nós vamos continuar fazendo as coisas aqui dentro baseado no entendimento de que a coletividade é mais importante do que as particularidades, sejam elas quais forem”, concluiu.

Renato Queiroz voltou a afirmar que votou de acordo com a sua consciência. Para ele, algumas das emendas apresentadas por Linoberg Almeida eram tecnicamente perfeitas, mas vazias de coteúdo

Câmara de Boa Vista aprova Orçamento para 2018 com apenas uma emenda

By Luiz Valério →

Os vereadores de Boa Vista aprovaram nesta terça-feira (12), com 13 votos favoráveis e duas abstenções, o Orçamento da Prefeitura da Capital para 2018. Foram apresentadas 29 emendas pelos vereadores, sendo 27 delas do vereador Linoberg Almeida (Rede), que não teve nenhuma das suas propostas atendidas pelos colegas. O projeto de Lei Orçamentária acabou sendo alterado por apenas uma emenda, apresentada pelos vereadores Pastor Jorge (PSC) e Júlio Medeiros (Podemos). Agora a matéria segue para a sanção da prefeita Teresa Surita (PMDB).

O município estimou uma receita para 2018 da ordem de R$ 1,253 bilhão, somando os orçamentos Fiscal e da Seguridade Social. Esses recursos virão de fontes como arrecadação de tributos, contribuições e transferências federais e estaduais. Na Lei Orçamentária Anual (LOA) estão previstos investimentos para 20 áreas, como Educação (R$ 276,2 milhões), Urbanismo (R$ 256,3 milhões), Saúde (R$ 234,7 milhões), Administração (R$ 179,5 milhões), Assistência Social (R$ 51,7 milhões) e Segurança Pública (R$ 47,6 milhões).

Linoberg Almeida disse em vídeo publicado no Facebook lamentar que os vereadores de Boa Vista não tenham dado importância às demandas colhidas por ele nas audiências públicas realizadas pela Casa. Algumas das emendas apresentadas pelo parlamentar destinavam recursos para programas educativos de combate à violência contra a mulher e também para fazer fomento a projetos culturais. Vários representantes de diversos segmentos artísticos estiveram na Câmara acompanhando a votação do Orçamento.

Outra emenda do vereador da Rede previa a destinação de recursos para o Guarda Municipal, no sentido de evitar que o dinheiro para a compra do fardamento de trabalho dos integrantes da corporação seja retirado dos seus próprios salários. “Eu recebi 50 nãos e comecei a entender que uma andorinha só não faz verão. Estou muito triste, mas não vou mudar a forma de fazer política que acredito, não vou mudar meus valores”, disse Linoberg, ao se desculpar com os destinatários das suas emendas. Somente a emenda do Pastor Jorge que destina recursos para a recuperação de pessoas dependente de drogas foi aprovada.

de 29 emendas apresentadas ao Orçamento de Boa Vista para 2018, apenas uma foi aprovada pelos vereadores. 50 propostas de modificação da peça orçamentária apresentadas por Linoberg Almeida foram rejeitadas
No fim prevaleceu o entendimento do bloco de apoio à prefeita Teresa Surita, que quis manter o Orçamento de 2018 inalterado. Uma das principais vozes a defender a integralidade do projeto da forma como veio da Prefeitura de Boa Vista foi o vereador Renato Queiroz (PSB), que se colocou contra todas as emendas apresentadas. Ele justificou que o Município tem feito um esforço muito grande para conseguir o equilíbrio fiscal e financeiro e que não seria possível mudar essa programação, permitindo o remanejamento de algo em torno de R$ 15 milhões em emendas.

Durante a discussão do Orçamento, vários vereadores propuseram a Linoberg que retirasse suas emendas sob a justificativa de que com a rejeição das alterações propostas pelo parlamentar no Plano Plurianual (PPA) 2018-2021 aprovado na sessão anterior, as ações sugeridas já não estariam contempladas no orçamento para 2018. Linoberg, no entanto, não aceitou a sugestão, e o presidente Mauricélio Fernandes (PMDB) colocou as emendas em votação pelo plenário, que optou pela rejeição das alterações.

“Foi exercida a democracia, os vereadores discutiram amplamente todas as emendas, aprovamos as que achavam que eram devidas e rejeitamos as indevidas. Vale ressaltar que o Executivo Municipal tem trabalhado em prol da população e tem atuado em todas as áreas do Município, então, por esse motivo, foram rejeitadas algumas emendas”, declarou Fernandes.

Edio Lopes, Romero Jucá e o despreraro dos políticos para lidar com a cibercidadania

By Luiz Valério → terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Os políticos brasileiros precisam aprender a viver, se relacionar e se conduzir nesse novo contexto das cidades-ciborgue e cibercidadania, onde todo mundo está conectado a alguma tecnologia de comunicação, produção e transmissão de sons e imagens. Agora, qualquer ato falho pode ser facilmente registrado e propagado em alta velocidade pela Internet, de smartphone em smartphone, de rede social em rede social. Foi o que aconteceu com o deputado federal Edio Lopes (PR). Acossado por um pequeno grupo de cidadãos que cobravam dele voto contrário na Reforma da Previdência, o parlamentar se destemperou, chegando a afirmar que não precisava do voto deles para se eleger. Como assim?

Antes de soltar essa pérola, Édio Lopes primeiro chantageou os cibercidadãos dizendo que, ao pressioná-lo e criticá-lo, eles o estavam forçando a mudar seu posicionamento de contrário a favorável à indigesta proposta do governo Temer. O breve conflito entre o parlamentar e os cidadãos indignados se deu dentro do aeroporto, tudo devidamente registrado pela câmera de um smartphone. Com seu estilo grosseiro, acostumado com a forma ultrapassada de fazer política, Edio, confiando certamente no poder financeiro do seu grupo político, sequer corou ao bradar que não precisa dos votos daqueles eleitores.

Tornou-se cada vez mais corriqueiro o fato de autoridades políticas serem confrontadas em público por cibercidadãos, sempre munidos de seus aparelhos celulares inteligentes que registram tudo à sua volta e depois espalham pelas redes sociais e grupos de conversa online. Recentemente, o alvo dessa nova forma de ativismo político foi o senador Romero Jucá, que, confrontado dentro de um avião, também demonstrou não ter jogo de cintura para lidar com essa nova realidade, tentando agredir a mulher que o filmava e confrontava. Dessa vez, foi Edio Lopes que se mostrou ainda mais incauto que seu líder político.

As novas tecnologias e redes sociais terão grande influência nas eleições de 2018 no Brasil. Os cibercidadãos, cada vez mais familiarizados com as novas tecnologias e mobilizados virtualmente terão a oportunidade de desconstruir todo discurso picareta ou raso, com sua fiscalização e participação online nas redes de relacionamento, que se transformaram em redes de informação e mobilização política. Esses dois episódios recentes, envolvendo personagens como Romero Jucá e Edio Lopes mostram o quanto os políticos brasileiros ainda precisam evoluir para lidar a cibercidadania e o ciberativismo. Parece-me o jogo começa a virar a favor dos eleitores e minorias, que sempre foram vistos como massa de manobra ou mercadoria facilmente negociável.

Cada vez mais, os cibercidadãos se utilizam de smartphones e redes sociais para acompanhar, fiscalizar e cobrar dos seus representantes uma postura política condizente com os seus interesses e necessidades

Vereadores votam hoje Orçamento de Boa Vista para 2018. Vereador Renato Queiroz é contra as 74 emendas apresentadas

By Luiz Valério →
Somente o vereador Linoberg Almeida apresentou 50 emendas ao Orçamento do Município para 2018

A Câmara Municipal de Boa Vista vota hoje a Lei Orçamentária Anual de 2018 e o Plano Para (PPA). No total, foram apresentadas 74 emendas às duas propostas, sendo 50 delas somente do vereador Linoberg Almeida (Rede).

Ao justificar suas emendas, Linoberg disse que é preciso adequar o orçamento às necessidades da sociedade e das diversas categorias de servidores, assim das pessoas mais necessitadas de políticas públicas.

Integrante da base de apoio da prefeita Teresa Surita (PMDB) na Casa, o Vereador Renato Queiroz (PSB) se colocou contra todas as 74 emendas. Ele justificou que a prefeitura traçou um plano de recuperação orçamentária e fiscal que precisa ser seguido à risca.  Logo, remanejar 45 milhões em emendas parlamentares prejudica, segundo ele, o trabalho feito pela prefeita Teresa.

A expectativa é que a votação da Lei Orçamentária Anual e do PPA entre pela tarde uma vez que a Casa está lotada de artistas e representantes de movimentos sociais, guardas municipais e outras categorias de servidores cobrando a aprovação de emendas que direcionem recursos para as suas demandas.

Os vereadores demoraram a entrar em plenário. Regimentalmente a Sessão da Câmara começa às 9 horas e já era quase 11 horas quando os vereadores chegaram para iniciar a sessão desta terça-feira.

Segundo o presidente da Câmara Vereadores, Mauricélio Fernandes (PMDB), a reunião prévia realizada antes da sessão teve o objetivo de aparar as arestas e discutir mais detidamente cada uma das emendas, ficando estabelecido que cada Vereador vai ter o tempo necessário para defender a sua emenda e promover o debate acerca do Orçamento.

Uso de fakes para influenciar eleições no Brasil é uma ameaça à democracia

By Luiz Valério → sábado, 9 de dezembro de 2017
As eleições no Brasil e no mundo tem sofrido a influência direta de um exército de perfis falsos criados em redes sociais como Facebook e Twitter para tentar direcionar a opinião dos eleitores.

A constatação foi feita a partir de uma investigação empreendida pela BBC Brasil, cujo resultado mostra que empresas de marketing digital e monitoramento de redes sociais usaram em 2014, e continuam usando, verdadeiros exércitos de perfis falsos para disseminar informações favoráveis a determinados candidatos, inflar perfis de personalidades políticas de “amigos”, seguidores, comentários e curtidas, dando a sensação de que são muito populares, e para atacar adversários políticos.

Aqui em Roraima tem sido comum nos depararmos com perfis falsos usados para atacar políticos ou mesmo para fazer serviço de contrainformação, criticando jornalistas que publicam reportagens ou comentários sobre determinadas figuras políticas locais ou qualquer um que discorde das ideias do contratante dos fakes.

Esses perfis falsos - ou ciborgues - são facilmente identificáveis porque usam fotos retiradas da Internet, muitas vezes de pessoas famosas, geralmente quase não têm seguidores e quase sempre estão alinhados com políticos envolvidos em casos de corrupção ou que estão em disputando algum cargo eletivo.

De acordo com a matéria da BBC, o pleito de 2014 foi marcado pela mobilização desses ciborgues. Centenas e talvez milhares perfis falsos foram criados por empresas como a Facemedia e mantidos por pessoas contratadas e pagas por elas para escrever publicações simpáticas a alguns políticos e com críticas a outros, com a ajuda de programas para manutenção de diversas personas ao mesmo tempo.

Na dianteira deste movimento no Brasil, que é motivo de preocupação em todo o mundo, está exatamente a Facemedia, empresa do Rio de Janeiro, que foi contratada por partidos como PMDB e PSDB para fazer o monitoramento de redes sociais em campanhas presidenciais, como a de Aécio Neves,em 2014, e de candidatos a governos estaduais, como Renan Filho (PMDB-AL), Vital do Rêgo (PB) e a deputada federal Laura Carneiro (PMDB-RJ).
Leia a reportagem da BBC Brasil: Exclusivo: investigação revela exército de perfis falsos usados para influenciar eleições no Brasil 
Apesar de eles afirmarem que contrataram a empresa Face Comunicação Online Ltda. (Facemedia) apenas para fazer monitoramento de suas redes sociais ou análise de big data, a reportagem da BBC identificou o uso de vários fakes para disseminar informações favoráveis a alguns desses políticos.

Os professores Fábio Malini, pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic) da Universidade Federal do Espírito Santo, e Philip Howard, do Instituto de Internet da Oxford, vêem os ciborgues como uma ameaça à democracia. Eles estão certos em suas afirmações.

Denominada de Democracia Ciborgue, a série de reportagens da BBC Brasil pretende mostrar o quanto a democracia corre risco em todo mundo devido à manipulação de informações ou divulgação de fakenews pelas redes sociais. Este cenário sombrio envolve cifras milionárias de dinheiro, a mobilização de verdadeiros exércitos de fakes e o desejo de manipular os pleitos eleitorais, interferindo diretamente na escolha de governantes em todos os níveis pelos eleitores.

Um caso concreto conhecido é o da Rússia, que montou um exército de fakes para influenciar diretamente às eleições dos Estados Unidos, da qual saiu vencedor o atual presidente Donald Trump. Consultado pela BBC, o Facebook disse ter desativado 470 contas e páginas "provavelmente operadas da Rússia", que publicavam conteúdo que tinha como objetivo causar divisão nacional em debates sobre direitos LGBT e questões raciais e de imigração nas eleições americanas.
Quem mantém perfil falso em redes sociais pode ser enquadrado em diversos crimes. Um deles é o crime de falsa identidade, segundo a advogada Patrícia Peck, especialista em Direito Digital. Aqueles internautas que usam fotos de pessoas reais em perfis fakes cometem o crime de uso indevido da imagem e podem pegar de três meses a um ano de prisão e ainda pagar multa. Pessoas que ganham dinheiro ou tiram alguma vantagem por manterem perfis falsos em redes sociais, podem se enquadradas por estelionato, o que pode render pena de um a três anos de prisão. 
Empresas contratadas por políticos têm usado exército de fakes para influenciar na opinião dos eleitores no Brasil - Imagem: BBC Brasil/Getty Images

Jucá, o 15º passageiro - o indesejado

By Luiz Valério → quinta-feira, 30 de novembro de 2017
Definitivamente a vida dos políticos corruptos no Brasil começou a experimentar um grau maior de dificuldade, graças à Operação Lava Jato. O senador Romero Jucá (PMDB) que o diga.

Viralizou nas redes sociais e grupos de WhatsApp desde ontem um vídeo em que, mais uma vez, Jucá (ou Cajú) é hostilizado por passageiros dentro de um avião. Jucá virou o 15º passageiro, o indesejado.

Arrolado em oito inquéritos no STF por participação em esquemas de corrupção, como a Operação Zelotes, que trata sobre a venda de medidas provisórias (MPs), Jucá é líder do governo Temer no Congresso Nacional e um das figurais mais proeminentes da política brasileira, mas que caiu em desgraça depois de ser desmascarado pela Lava Jato.


Nesse novo episódio, uma mulher se aproxima de Jucá com seu celular em punho e faz várias perguntas constrangedoras ao político, ironiza sua participação no episódio “estanca sangria” e o chama de corrupto e defensor “dos seus amigos canhalhas”.

Jucá está arrumando sua mala no compartimento de bagagens quando a mulher se aproxima com a câmera já acionada e voltada para o senador roraimense e começa a disparar seus torpedos:

- Romero? Excelentíssimo senador, tudo bem? Gente, o Jucá, do grande acordo nacional com o Supremo e com tudo! Ei senador, tudo bem?

Jucá reage, supreso:

- Você devia me respeitar. Você deve ser petista, né? Você deve ser petista, né?

A passageira não se intimida e ironiza:

- E pra ser honesto tem que ser petista? E o senhor, do PMDB, é honesto?

Nesse momento Jucá, com um tapa, tenta derrubar o celular da passageira que o filma e esculacha.

- Olha, não me agride!, reage a mulher.

Os passageiros todos protestam contra a reação agressiva do político roraimense.

E a moça continua a inquirir Jucá:

- Especialista em acordo nacional... Como é que está funcionando o acordo pra Reforma da Previdência, pra Reforma Trabalhista, pra MP, pra PEC que congelou os gastos públicos com educação e saúde por 20 anos? Como é que o senhor está fazendo esse acordo? Conta pra gente!

Jucá reage e diz que está recuperando o Brasil.

- Vocês quebraram o Brasil e nós estamos recuperando, afirma.

A passageira continua seu esculacho devidamente registrado em vídeo:

- Recuperando pro senhor? O senhor conseguiu estancar a Lava Jato, foi? Salvou seus amigos canalhas? O senhor não tem vergonha? Vai acabar o seu sossego!, esculacha a passageira.

..........

Mais uma vez, o senador Romero Jucá experimentou a fúria de cidadãos indignados com a corrupção
Como está evidente, a paciência dos brasileiros para com políticos corruptos, desonestos, está cada vez menor. As reações contra os usurpadores da nossa cidadania e dignidade tende a aumentar. Aqueles que atuam como “o cancer” do sistema político brasileiro não terão mais sossego, como diz a passageira a Jucá.

E para que essa reação seja completa e tenha efeito prático, será preciso que os brasileiros sigam o conselho dos procuradores da Lava Jato: em 2018 não votem em políticos corruptos, que têm ou tiveram seu nome em esquemas de corrupção, como os desvendados pela força-tarefa de Curitiba.

Não por acaso, Romero Jucá é uma dessas personas da política brasileira.

Vereadores esvaziam sessão e impedem instalação de CPI em Rorainópolis

By Luiz Valério → quarta-feira, 29 de novembro de 2017
Apenas quatro dos nove vereadores que assinaram o requerimento pedindo a abertura de uma CPI para apurar supostas irregularidades em licitações feitas pelo prefeito Leandro Pereira (PSD), de Rorainópolis, compareceram à sessão desta terça-feira (28) impedindo, assim, a instalação da comissão. Este blog publicou na segunda-feira (27) que no final de semana o prefeito Leandro se reuniu com os vereadores que assiaram o requerimento e seis deles teriam desistido imediatamente de pedir a CPI contra o gestor.

Na sessão do dia 21 de novembro nove dos 11 vereadores que compõem o Poder Legislativo municipal estiveram presentes na Câmara, quando aconteceu a leitura do requerimento Nº 004/2017 que pede a criação da CPI que pretende investigar supostas irregularidades em processos licitatórios, emergenciais e contratos de prestação de serviços dfeitas pela Prefeitura de Rorainópolis. Naquela ocasião, o vereador Cidalino Mariano pediu vista do requerimento.

No pedido de abertura da CPI, os vereadores proponentes -  Luiz Gonzaga da Silva (PC do B) e Leocádio Rodrigues Pereira (PRB) - afirmam que a medida tem o objetivo “de proteger as insitituições e o povo, reafirmando, por conseguinte, o compromisso com os princípios e as garantias estabelecidas na Constituição Federal, Lei Orgânica do Município e no Regimento Interno, tendo em vista situações que vêm ocorrendo na prefeitura que tem havido (sic) manifestações de órgãos fiscalizadores, inclusive judiciais”.

Compareceram à sessão desta terça-feira apenas os vereadores Luís do Posto, presidente da Casa, Gilmário Alves (Patriotas), Edivam Ivo (PSC) e Márcio da Alba (PDT). Para que a instalação da CPI tenha continuidade da CPI é necessária a presença também dos vereadores Paulo Lima (PR), Dorval Nascimento (PV), Pinto do Equador (PRB), Leocádio Rodrigues (PRB) e Serginho da Colina (PRB) que assinaram o requerimento pedindo a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito.

De acordo com o vereador Márcio da Alva, a CPI é fato e vai acontecer. “Não se pode retirar assinatura e não se pode voltar atrás, uma vez que já foi lido e tem que ser formada uma comissão. Que a mesa diretora aguarde um prazo de uns dias ou até mesmo 48h para que seja feita a indicação dos nomes para a formação da comissão”, disse o parlamentar.
O prefeito Leandro Pereira é acusado de cometer irregularidades em licitações para resolver questões emergenciais no município e fazer a contratação de serviços - Foto: Arquivo/Blog