Recent Posts

Pesquisa mostra que candidatura de Luciano Castro ao governo é um sonho quase impossível

By Luiz Valério → quarta-feira, 20 de setembro de 2017
Luciano Castro aparece com apenas 3,78 das intenções de voto para governo, segundo a pesquisa INOPE
Numa entrevista concedida a este blogueiro na semana, o deputado federal Remídio Monai (PR) disse que o ex-deputado federal Luciano Castro ainda sonha em ser candidato ao Governo do Estado. Mesmo com a sua candidatura malograda ao Senado em 2014, Castro não se inteirou e ainda deseja alçar voos mais altos na política, quando a lógica mostra que ele poderia se contentar com uma candidatura a deputado federal.

Os números da pesquisa INOPE, realizada no final de agosto e publicada neste mês de setembro, mostram que Luciano Castro tem um baixíssimo percentual de intenção de votos entre o eleitorado. O atual secretário do Ministério dos Transportes aparece com apenas 3,78%.

Apesar de ainda faltar um ano para o pleito de 2018, os números do INOPE mostram hoje que Luciano Castro pode estar fazendo, mais uma vez, uma aposta errada. Às pessoas próximas Castro tem dito que só se candidatará se for ao governo ou ao Senado. É isso ou nada. Eu suspeito que, se não mudar de ideia, ele vai ter que se contentar com o nada.

A pesquisa INOPE sobre as intervenções de voto dos roraimenses para governo mostra que Castro fica muito atrás do ex-governador José de Anchieta com quem disputou uma vaga no Senado em 2014. Anchieta, aliás, é a grande surpresa da pesquisa. Não obstante o desastre que se revelou os últimos anos do seu mandato, ele aparece em segundo lugar com 12,23%, logo atrás de Teresa Surita, que surge disparada na frente com folgados 47,90%.

É claro que ainda é muito cedo para falar em definições de candidatura, mas os números mostram que Luciano Castro pode estar errado mais uma vez, caso aposte num voo muito alto para suas asas já cansadas. No mais, o ex-deputado tem demonstrado não ter fôlego suficiente para corridas de profundidade. Isso Ficou claro em 2014.

Pesquisa aponta Suely com rejeição de 47% e Teresa como preferida para o governo em qualquer cenário

By Luiz Valério →
Reprodução de um da pesquisa INOPE sobre a aceitação da governadora Suely Campos
Uma pesquisa de opinião feita pelo Instituto Norte de Pesquisas (INOPE) aponta que a governadora Suely Campos (PP) tem menos de 10% de aprovação por parte da população do Estado de Roraima. Segundo a mesma pesquisa, a principal preocupação da população roraimense é com a saúde, considerada precária. Este seria o principal problema do Estado, de acordo com os dados coletados. Ainda de acordo com o levantamento, a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB), é o nome preferido do eleitorado para a disputa pelo governo em 2018 em qualquer cenário.

Conforme a sondagem feita pelo INOPE, o segundo item que mais preocupa a população de Roraima é a corrupção, com 20,8%. Em seguida vem o desemprego, com 12,6%. Segurança pública surge em terceiro lugar, com 10,8%. A falta de energia elétrica é o principal problema do estado para 8,15% dos entrevistados. A crescente migração venezuelana é apontado como preocupante por apenas 6,06%. Já a falta de investimento na educação vem logo a seguir com 4,5%. A carência de estrada foi apontado como principal problema do estado por 3,9%. Já a falta de incentivo para a agricultura é o maior problema de Roraima para 1,74% das pessoas ouvidas.

No entanto, o que mais chama atenção na pesquisa INOPE é a rejeição ao governo de Suely Campos. De acordo com os dados, 4,3% das pessoas ouvidas não souberam opinar. Para 19,93% dos entrevistados, a gestão da governadora é ruim. Outros 17,89% consideram a administração de Suely regular. A maioria dos entrevistados, ou 47,61%, disse que o desempenho do governo é péssimo. Apenas 1,39% considera o governo ótimo, enquanto que 0,11% disse que a atual gestão é excelente  e 8,44% da população afirmou que a administração de Suely Campos é boa.

A pesquisa INOPE também simulou dois cenários de intenção de votos para Governo do Estado. Nas duas situações a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, aparece disparada na frente.

No primeiro cenário, Teresa tem 47,9% das intenções de voto. O ex-governador José de Anchieta (PSDB) surge em segundo, com 12,23%, a senadora Ângela Portela (PDT) aparece em terceiro, com 6,93%. Já o deputado Messias de Jesus surge em quarto lugar, com 4,89% das intensões de votos. Com a máquina administrativa na mão, a governadora Suely Campos aparece com apenas 4,19%. O deputado Jalser Renier (SD), presidente da Assembleia Legislativa, tem 4,72%. Por sua vez, o ex-deputado federal Luciano Castro (PR) surge com 3,78%, o senador Telmário Mota (PDT) tem 2,03%. Já o atual secretário-chefe da Casa Civil do governo, Oleno Matos (PP), tem  1,74%, enquanto os empresários Airton Cascavel  e Antônio Parima aparecem empatados com 1,68%.  Os eleitores que disseram estar indecisos somaram 2,44%. Os que disseram que votariam  brancos ou nulo representam 3,32% e os que disseram não saber responder as perguntas ou não opinaram somaram 2,38%.

No segundo cenário pesquisado pelo INOPE, a prefeita a Teresa Surita aparece com percentual ainda maior. De acordo com os números da pesquisa, neste segundo cenário Teresa tem 48,83% das intenções de voto. O ex-governador José de Anchieta aparece com 14,51% e a governadora Suely Campos sobe um pouquinho, ficando com 5,18%. Já o senador Telmário Mota surge com 2,62%,l. Os empresários Airton Cascavel e Antônio Parima aparecem com 3,34 % e 3,78% respectivamente. Os indecisos somaram 11,13%. Brancos e nulos representam 7,92% e aqueles que não sabem ou não opinaram, 2,56%.

Considerado um instituto que tem crescido em credibilidade desde as últimas pesquisas realizadas para as eleições municipais de 2016, o INOPE apresenta a prefeita Teresa Surita como favorita disparada na corrida para o Governo do Estado em 2018. Chama a atenção o o fato de Suely, mesmo tendo a máquina administrativa na mão e tentando agradar as diversas categorias de servidores, não consiga  chegar nem aos 10% de aceitação em seu terceiro ano de mandato. Chama mais ainda atenção a astronômica rejeição da atual administração estadual. A governadora tem nada menos do que 47,61% de avaliação negativa. Para quem sonha com a reeleição, esse é o pior dos cenários.

Mecias de Jesus quer definir data para realização de evento cristão

By Luiz Valério → sexta-feira, 15 de setembro de 2017
O deputado Mecias de Jesus quer definir o quarto sábado de setembro como o dia de realização da Marcha para Jesus em RR
Proposta apresentada na Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Mecias de Jesus pretende definir o quarto sábado do mês de setembro como o Dia da Marcha para Jesus no Estado. A finalidade, segundo o autor do projeto, é reconhecer a importância da manifestação para a comunidade cristã.

De acordo com o texto da proposta, a organização da Marcha para Jesus ficará sob a responsabilidade da Ordem de Ministros Evangélicos de Roraima (OMERR) e do Poder Público Estadual, por meio da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes) e Secretaria estadual de Cultura (Secult).

Pelo projeto, os parceiros ficam autorizados, sem prejuízo de suas obrigações legais, a prover os meios necessários para sua realização. Mecias de Jesus considera importante resgatar a memória de um povo por meio da instituição de datas, servindo como instrumento de afirmação de cidadania e de valorização da identidade.

Ele destaca que o evento cristão Marcha para Jesus é reconhecida como manifestação cultural desde o ano de 2016, por meio de projeto governamental aprovado naquela Casa.

“Anualmente, pessoas de todas as idades e lugares do Brasil e até de outros países, participam do evento, e no Estado de Roraima não é diferente. Certamente, a aprovação de um projeto tão importante para a sociedade vai fomentar o espírito de união de todos que almejam a inclusão social, especialmente, unindo todos por meio de Fé e orações”, afirma.

Bancada federal diz priorizar saúde em Roraima, mas setor ainda tem deficiências

By Luiz Valério →
Remídio Monai diz que neste ano destinou R$ 7,6 milhões para serem investidos na saúde de cinco municípios roraimenses
Neste ano, a bancada federal de Roraima em Brasília conseguiu liberar R$ 36 milhões de um total de R$ 70 milhões oriundos de emendas impositivas para as unidades de saúde do estado. Essa liberação de pouco mais da metade dos recursos previstos no Orçamento da União para 2017 é decorrente do contingenciamento de recursos pelo Governo Federal. O dinheiro é destinado às Unidades de Atendimento de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar da saúde estadual.

De emendas apresentadas pelo deputado Remídio Monai foram garantidos cerca de R$ 7,6 milhões destinados aos municípios de Pacaraima, Bonfim, Caracaraí, Mucajaí e São João da Baliza. No ano passado, ele apresentou emendas que, juntas, somam R$ 6,5 milhões para a estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde no Estado de Roraima.

Os recursos vão permitir a ampliação do Hospital Regional Sul Ottomar de Sousa Pinto (Hospital de Rorainópolis), com a construção do bloco da maternidade e também a aquisição de novos equipamentos para Unidade de Atenção Especialidade Policlínica Cosme e Silva, em Boa Vista.

Nos últimos três anos, o deputado diz ter priorizado a área da saúde pública na destinação das emendas individuais. Foram 18 propostas aprovadas de execução obrigatória ao Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), que somam mais de R$ 18 milhões para investimento e custeio de unidades hospitalares em Roraima.

“Queremos assegurar todas as condições para que a população tenha acesso ao sistema público de saúde de qualidade. Estamos trabalhando para que os recursos cheguem ao Estado, e que sejam corretamente executados”, afirmou.

Monai afirma que esse aporte vai contribuir para a melhoria dos serviços oferecidos, através da modernização e aquisição de novos equipamentos. “Nossa maior preocupação é assegurar a cidadania. A saúde precisa ser priorizada e fico feliz em poder contribuir para minimizar os efeitos dessa crise”, disse.

Para ele, é inadmissível que a população continue sofrendo com as longas filas de espera para consultas e exames, falta de médicos para atendimento, pacientes em macas pelos corredores dos hospitais, precariedade nas instalações ambulatoriais e hospitalares, falta de equipamentos básicos e medicamentos.

Municípios de Roraima recebem mais de R$ 5 milhões destinados por Jhonatan

By Luiz Valério → quinta-feira, 14 de setembro de 2017
Jhonatan de Jesus diz que a bancada federal de Roraima está unida para conseguir melhorias para os municípios de RR
O deputado federal Jhonatan de Jesus (PRB) participa nesta sexta-feira (15) da assinatura dos convênios da bancada roraimense em parceria com a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), da ordem de mais R$ 12,5 milhões para obras diversas nos municípios de Roraima. Jhonatan destinou R$ 5.367 milhões em emendas, sendo R$ 1.001.500 para Pacaraima, R$ 2,1 para São João da Baliza, e R$ 683 para o município de Amajarí.

De acordo com a assessoria do parlamentar, os recursos são destinados para a ampliação de rede elétrica, iluminação pública e substituição de postes de madeira por postes de concreto do município de São João da Baliza, eletrificação rural no município de Amajarí, eletrificação urbana no município de Pacaraima.

Caroebe vai receber R$ 1 milhão e Alto Alegre receberá R$ 500 mil em recursos que serão investidos na Fruticultura com banana irrigada e Piscicultura, com a escavação de tanques para criação de peixes, respectivamente.

“Os municípios do nosso Estado, necessitam de ajuda para o desenvolvimento urbano e rural, por isso, destinamos recursos para promover estas mudanças. A bancada está unida e comprometida em levar soluções para melhorar a qualidade de vida dos roraimenses”, afirmou Jhonatan.

Joaquim Ruiz fala sobre sua adesão à base governista na Assembleia Legislativa

By Luiz Valério →
Joaquim Ruiz diz acreditar que no governo terá condições de tocar projetos importantes
Depois de alguns dias de anunciada a sua adesão à base governista na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Joaquim Ruiz falou ao blog sobre os motivos que o levaram a aderir à bancada de apoio a Suely Campos na Casa.

Ele acredita que estando no governo tem mais condições de concretizar alguns projetos na área da educação, campo em que tem forte atuação.

Confira no vídeo abaixo:

Canetada exoneratória de Jalser esvazia sessões e semana termina improdutiva na ALERR

By Luiz Valério →
As sessões desta semana da Assembleia Legislativa foram esvaziadas pelos deputados - Foto: Luiz Valério (Ilustrativa)
Esta foi mais uma daquelas semanas perdidas na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR). A canetada dada pelo presidente da Casa, deputado Jalser Renier (SD), exonerando dezenas de servidores comissionados mexeu com os nervos dos parlamentares que, por sua vez, deixaram de participar das sessões desta semana.

Depois da adesão dos deputados Jânio Xingu, Coronel Chagas, Joaquim Ruiz e Odilon Filho à base governista na Casa, na semana passada, o clima ficou tenso pelas bandas do Poder Legislativo. A canetada exoneratória de Jalser acirrou ainda mais os ânimos. O ato foi uma demonstração de força do presidente Legislativo aos ex-aliados.

Com o alvoroço que se instalou na Assembleia, principalmente entre os deputados afetados pela exoneração em massa de seus indicados, não houve clima nem disposição por parte dos deputados para a realização de sessões esta semana.

Eles se envolveram em conversas e reuniões nos gabinetes e na Sala VIP da Casa sem se interessar em participar das sessões, que foram abertas e encerradas rapidamente na terça, quarta e quinta-feira.

Hoje, por exemplo, sequer houve Parlamentares em número suficiente para fazer a recomposição das comissões permanentes da Casa, de acordo com o novo rearranjo das bancadas.

Dessa forma, tivemos uma semana marcada pela ressaca da adesão ao governo dos deputados dissidentes do ex-G16 e pela revanche de Jalser que decidiu tratar os colegas a pão e água. os deputados Xingu e Chagas são os mais indignados com a canetada de Jalser.

O corte brusco de cargos e regalias estremeceu a relação outrora sólida e de camaradagem que existia entre o deputado Coronel Chagas, vice-presidente da Assembleia, e Jalser. Falava-se hoje que Chagas estava a ponto de "chutar o pau da barraca" quanto ao seu bom relacionamento com o presidente da Casa.

No plenário, o primeiro-secretário da Mesa Diretora, deputado Naldo da Loteria conversou demoradamente com o vice-líder do grupo governista, Soldado Sampaio, e com cada um dos quatro neo-governistas. O teor da conversa ainda é desconhecido.

O final de semana deve ser pontuado por mais conversas que devem definir o andamento dos trabalhos no Poder Legislativo estadual.

Jucá plagia Janot e diz que procurador-geral integra facção criminosa

By Luiz Valério →
Incomodado com as denúncias em série de Janot, o senador Romero Jucá diz que o procurador-geral integra facção criminosa. Só ele não sabe que esse discurso raivoso não cola
De tanto ser acusado de integrante de uma facção criminosa com base em investigações, denúncias, delações e diversos índídios de provas, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) se desconpensou e partiu para o ataque contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o acusando de... fazer parte de uma organização criminosa.

A fala de Jucá chega a ser risível.

Janot, cumprindo sua atribuição constitucional de chefe do Ministério Público Federal (MPF), fez denúncias diversas contra Jucá e vários outros caciques do PMDB, PP, PT, PSDB, etc. tudo com basem em depoimentos de criminosos já presos, documentos apreendidos e com as revelações obtidas ao seguir o caminho trilhado pelo dinheiro sujo, até chegar aos R$ 51 milhões de Geddel Vieira Lima.

A última denúncia contra Jucá afirma que ele e outros peemedebistas como Renan Calheiros (AL), Valdir Raupp (RO), José Sarney (AP) entre outros receberam propinas da ordem de R$ 850 milhões.

O procurador-geral da República acusa e aponta vários indícios de provas. E Jucá? Fica apenas no discurso raivoso por se ver, ele e todos os caciques do PMDB, atordoados com denúncias em série feitas pro Janot.

Chega a ser psicodélico o discurso de Jucá. 

Ele disse que Janot Janot integra uma facção criminosa integrada pelo ex-procurador Marcelo Miller e delatores como o dono da JBS Joesley Batista, Sérgio Machado, ex-dirigente da Transpetro; o ex-senador Delcídio Amaral; e o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. É preciso que se diga que quem conviveu primeiro politicamente com algumas dessas figuras citadas por Jucá foi ele próprio.

É um discurso que se soma ao do presidente Michel Temer (PMDB), novamente alvejado por nova denúncia segundo a qual ele é líder de uma facção criminosa. Janot afirma na denúncia contra Temer que o presidente lidera uma facção. E o líder do governo no Senador é ninguém menos do que Jucá, que já foi acusado, mais de uma vez, de integrar uma organização criminosa. 

Logo, na falta de um discurso racional, Jucá está apenas plagiando desesperadamente o discurso de Janot.

Nós, brasileiros, esperamos que a ministra-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, esteja certa e que as instituições brasileiras, como dito por ela, não mudem o rumo das coisas. Cármen Lúcia disse ontem que podem até mudar as pessoas, mas o MPF e o STF vão continuar firmes no combate à corrupção. Ela afirmou também que janot apensa cumpriu sua missão constitucional.

Eu prefiro acreditar nela.

Comissão de Integração Nacional aprova parecer pela criação de Áreas de Livre Comércio em Roraima

By Luiz Valério → quarta-feira, 13 de setembro de 2017
O autor da proposta de criação das Áreas de Livre Comércio nas regiões metropolitanas de Roraima é o deputado Jhonhatan de Jesus
A Comissão de Integração Nacional e Desenvolvimento Regional e da Amazônia aprovou o parecer do deputado Remídio Monai (PR-RR) ao Projeto de lei nº 7812 de 2017, de autoria do deputado Jhonathan de Jesus (PRB-RR), que cria as Áreas de Livre Comércio (ALC) na Região Metropolitana de Boa Vista e da Fronteira Norte de Roraima.

Conforme o parecer do relator, existe a necessidade de ampliação da superfície territorial da ALC de Boa Vista e Bonfim, abarcando os demais municípios integrantes da Região Metropolitana da Capital, nos termos da Lei Complementar de Roraima nº 229, de 2014, Alto Alegre, Cantá e Mucajaí, assim como os municípios pertencentes à fronteira setentrional do Estado, Amajari, Normandia, Pacaraima e Uiramutã.

Para Remídio, além das vantagens provenientes da redução do custo de vida para a população, a concessão dos incentivos decorrentes da implantação da Área de Livre Comércio pode alavancar o empreendedorismo na região, promovendo a geração de renda e emprego e a melhoria da qualidade de vida da população.

De acordo com o parlamentar roraimense, o modelo proposto tem sido amplamente utilizado em todo o mundo para fomentar o progresso dos municípios e regiões beneficiadas. 

“Em diversos países, incentivos fiscais são utilizados com o objetivo de reduzir desigualdades regionais. A implantação da ALC pode ser empregada como instrumento de uma política de estímulo à geração de renda e emprego em localidades menos desenvolvidas", defendeu.

O deputado entende que a Amazônia merece a oportunidade de testar mais intensivamente o modelo de Áreas de Livre Comércio. “Não vemos motivos para que se fuja do efeito dinamizador do progresso que elas poderão exercer sobre as comunidades selecionadas. 

Neste sentido, a referida proposta é considerada imprescindível, dado que estende o território de atuação das atividades das ALC de Boa Vista e de Bonfim para outros municípios, pertencentes à Região Metropolitana da capital de Roraima”, salientou o parlamentar.

Deputados do Norte pedem liberação de recursos para Instituto Federal

By Luiz Valério →
Remídio disse que o IFRR precisa de recursos para desenvolver suas ações pedagógicas nas áreas indígenas e de fronteira
Uma audiência pública realizada na Câmara dos Deputados discutiu nesta segunda-feira (12) o descontingenciamento de recursos para os institutos federais na Amazônia. A audiência foi solicitada pelas bancadas federais dos estados da Região Norte, com o objetivo de oferecer melhores condições de funcionamento dessas escolas federais.

O deputado Remídio Monais (PR-RR) disse ter solicitado o descontingenciamento de 100% dos recursos para Roraima para que o IFRR possa desenvolver seus trabalhos pedagógicos nas regiões de fronteira, indígenas e no sul do estado.

"O IFRR é de fundamental importância para Roraima, Esse contingenciamento acaba inibindo a capacidade de investimento do Instituto Federal", disse o parlamentar.

Veja as explicações do deputado Remídio sobre a audiência: