Jornalista é agredido verbalmente por prefeito de Pacaraima

By Luiz Valério segunda-feira, 8 de setembro de 2008
Na sexta-feira passada o blog Jornalismo nas Américas, do Knight Center for Journalism nas Américas, da Universidade do Texas, divulgou uma matéria sobre a divulgação do relatório semestral do Centro para la Apertura y el Desarrollo de América Latina (CADAL) que trata da violência cometida contra jornalistas na América Latina. Do Brasil foram citados no relatório os estados de Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Brasília, Pará, Santa Catarina e Mato Grosso. Esses estados fazem parte da chamada "zona roxa", onde foram registrados os mais notórios e polêmicos casos violência contra jornalistas, como o sequestro da equipe do jornal O Dia, do Rio de Janeiro, por uma quadrilha de policiais militares bandidos.

O resto do país é citado como "zona violeta" onde também foram registrados casos de violência contra profissionais de jornalismo, mas sem a mesma amplitude. O relatório, produzido por Fernando Javier Ruiz, doutor em Comunicação pela Universidade de Navarra, diz que o Brasil tem sançaõ penal para os delitos contra a honra, a obrigatoriedade de diploma para o exercício do jornalismo e ainda registra prática de mordaça a profissionais de jornalismo.

Infelizmente, os casos de veiolência e agressões contra jornalistas ocorridos em Roraima não constam do relatório. Tudo bem e oxalá que nenhum jornalistaque atua em Roraima tenha sido assassinado nos últimos anos, mas a truculência de poderosos locais contra profissionais jornalismo tem sido notória. O último e mais recente caso aconteceu exatamente hoje, contra o jornalista Leandro Freitas, do movimento "Nós Existimos" e foi protagonizado pelo prefeito de Pacaraima, Paulo César Quartiero (PDT), conhecido pela sua truculência e arrogância.

No desempenho da sua função, Freitas tentou entrevistar o prefeito da cidade fronteiriça com a Venezuela para colher informações sobre uma senúncia acerca de um possível loteamento irregular de terras na Maloca do Barro (Surumu), na qual Paulo César Quartiero era citado. Buscando ouvir a versão de Quartiero para a denúncia foi feita formalmente por 65 lideranças indígenas da Raposa Serra do Sol, protocolada e encaminhada à Funai em Roraima e Brasília, ao Ministério Público Federal, ao Ministério da Justiça e ao Conselho Indígena de Roraima, o jornalista foi tratado de forma desrespeitosa, assim como veículo de comunicação para quem ele trabalha.

Esta não é a primeira vez que Paulo Quartiero age com desrespeito contra jornalistas. No primeiro semestre também foi ele o protagonista de outro atentado à liberdade de imprensa e livre exercício da profissão de jornalista em Roraima, quando determinou a captura de equipamentos de filamagens e fitas de vídeo de uma equipe da TV Ativa, que cobria o conflito na região da Raposa Serra do Sol. O caso foi parar na Superintendência da Polícia Federal. Contrário à homologação contínua da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, Quartiero também tem comandado ações de violência e vandalismo, mandando queimar pontes e obstruir estradas. Aliás, ele responde a processo por sequestro e incitação à violência. Mesmo com tantas evidências da sua contuda truculenta, o prefeito de Pacaraima ainda tem a coreagem de se dizer vítima de perseguição.

Leia abaixo a nota de protesto publicada pelo Sindicato dos Jornalista de Roraima contra a agressão proferido pelo prefeito Pauloi César Quartiero contra o jornalista Leandro Freitas:


"Nota de repúdio

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Roraima (Sinjoper) vem a público repudiar a atitude do prefeito de Pacaraima e presidente da Associação dos Rizicultores, Paulo César Quartieiro, pela maneira desrespeitosa com que tratou o jornalista Leandro Freitas, do jornal Monte Roraima.

No legítimo dever de ouvir os dois lados e primando pela ética jornalística, o repórter tentou entrevistá-lo para colher informações sobre uma matéria/denúncia sobre um possível loteamento irregular de terras na Maloca do Barro (Surumu), na qual Paulo César Quartiero era citado.

Apesar de o repórter ter procurado o senhor Paulo César Quartiero apenas com a intenção de ouvir sua versão do fato, já que a denúncia foi feita formalmente por 65 lideranças indígenas da Raposa Serra do Sol, protocolada e encaminhada à Funai em Roraima e Brasília, ao Ministério Público Federal, ao Ministério da Justiça e ao Conselho Indígena de Roraima, o mesmo foi desrespeitoso e tentou desmoralizar tanto o jornalista quanto o veículo de comunicação para quem ele trabalha, proferindo inclusive palavras de baixo calão.

Mais uma vez a Imprensa vem sendo desrespeitada e cerceada do seu papel fundamental que é levar a informação precisa para a população.

Novamente, reafirmamos o compromisso do Sinjoper em lutar pela liberdade de expressão, esse preceito constitucional que, a cada dia, vem sendo desrespeitado em todas as esferas da sociedade.

O Sinjoper mais uma vez está acompanhando de perto esse fato lamentável e estará sempre atento para defender a categoria.

A DIRETORIA."
Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Jornalista é agredido verbalmente por prefeito de Pacaraima "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.