Ângela Portela e a corrida ao Senado. Uma entrevista

By Luiz Valério sexta-feira, 28 de maio de 2010
Amanhã, o Partido dos Trabalhadores (PT) realiza o seu encontro regional, no qual serão discutidas as candidaturas que a sigla apresentará nas eleições eleições deste ano, assim como as coligações às quais se prenderá aqui em Roraima. O ponto mais polêmico e esperado do evento será a decisão [ou anúncio] sobre o lançamento da candidatura da deputada e presidente regional do partido Ângela Portela ao Senado, como querem caciques do PT. Nos antecipamos às discussões e publicamos, com exclusividade, uma entrevista com Ângela, na qual ela fala sobre a possibildiade de sair candidata a senadora - apesar de dizer que sua prioridade seria a reeleição - e do apoio do deputado estadual Mecias de Jesus (PR) à sua candidatura à Câmara Alta do País.  Para Ângela, o apoio do presidente da Assembleia Legislativa à sua candidatura "será bem vindo". Confira:

Ângela fala sobre sua candidatura ao Senado
PS - Para todos os efeitos, dentro do grupo majoritária de Ângela ao Senado já está decidida no PT. Será apenas comunicada aos filiados e militantes no encontro de Amanhã. 

PcomP - A senhora quer ser candidata ao Senado e por quê?

Ângela -  A candidatura majoritária, ao Governo ou Senado, passa por muitas discussões. Ninguém é candidato apenas pela sua própria vontade. É preciso que haja algum clamor. A minha primeira opção é a disputa pela reeleição à deputada federal, mas parte do nosso grupo político - que além do Partido dos Trabalhadores inclui outros partidos da base de apoio ao presidente Lula - defende minha candidatura ao Senado. Esta iniciativa parte da análise de pesquisas internas feitas nos últimos dois anos e também da observação da conjuntura política atual, que revela a possibilidade do PT preservar os dois mandatos que tem atualmente, se invertermos as posições, comigo disputando o Senado e o senador Augusto Botelho indo para deputado federal.

PcomP - Mas o senador Augusto quer disputar a reeleição?

Ângela -  É perfeitamente compreensível, mas repito: a definição dos cargos não depende apenas da nossa vontade pessoal. Existe muita discussão interna para definir o que é melhor para o partido, para o grupo político no qual este grupo está inserido e, principalmente, o que será melhor para um possível terceiro mandato do PT na Presidência da República, com Dilma Rousseff. Precisamos manter nossa bancada forte no Congresso para votar projetos importantes para o futuro do país e para manter as conquistas do governo Lula, que são inúmeras.

PcomP - O senador Romero Jucá estaria trabalhando contra sua candidatura ao Senado?

Ângela -  A gente ouve muita coisa, mas esta não é uma questão fundamental no processo de escolha dos candidatos do PT. O senador Romero Jucá é um aliado importante do governo Lula que tem muitos serviços prestados ao Brasil e a Roraima. Fomos aliados nas últimas eleições e vencemos duas vezes a disputa pela Prefeitura de Boa Vista. Temos todo o interesse que ele continue sendo senador e contribuindo para o País, mas nesta eleição estaremos em coligações diferentes. E não podemos esquecer que hoje o PT tem um senador por Roraima e o PMDB tem outro. Nossa vontade é que continue assim. Não vamos abrir mão da nossa vaga para facilitar uma eventual candidatura do PSDB. Principalmente considerando a importância do Senado para a implantação de projetos importantes para o País que o nosso partido defende e continuará defendendo em 2011.


PcomP - Neste sábado o Partido dos Trabalhadores realiza seu encontro estadual. O que vai ser decidido?

Ângela -  Esperamos sair do encontro com nossas candidaturas definidas, as coligações e o palanque de nossa presidente, Dilma Rousseff. O PT é um partido que atua de forma democrática. Todos os seus membros têm direito a voz e a maioria decide. Certamente haverá ainda muito debate, posicionamentos contraditórios, por isso é importante conversar, aparar arestas para que o partido esteja unido. Nosso objetivo é manter esse modelo político, econômico e social que vem sendo conduzido com tanto sucesso pelo presidente Lula.

PcomP - Com a saída do deputado Mecias de Jesus (PR) da disputa pelo Senado, anunciando apoio ao candidato Neudo Campos (PP) a senhora espera que ele também apóie sua candidatura?

Ângela - Eu diria que o apoio do deputado Mecias é, além de muito bem vindo, fundamental para qualquer grupo político que queira vencer a eleição contra a máquina pública sustentada pelo Governo do Estado. Ao longo de nossas histórias em Roraima sempre tivemos excelente relacionamento com o deputado Mecias. Se isso se reverter em apoio recíproco nestas eleições, será melhor ainda.

PcomP - E a coligação com o deputado Neudo Campos (PP). O PT vai apoiá-lo para o governo?

Ângela - Entendemos que precisamos de um palanque forte nesta eleição, que permita levar nossas propostas a todos os municípios e comunidades de Roraima. A candidatura ao governo do deputado Neudo Campos oferece este palanque, com a possibilidade de apresentar um contraponto ao modelo de governar Roraima que vemos hoje. O modelo que queremos é o que está dando certo em todas as demais regiões do Brasil. Por outro lado, em nível nacional, o Partido Progressista firmou acordo com o Partido dos Trabalhadores para a formação do palanque de Dilma Rousseff em Roraima. E para o PT local, não existe caminho diferente da candidatura presidencial de Dilma Rousseff.

PcomP - E como fica a candidatura de Dilma Rousseff/Michel Temer em Roraima se o PT e o PMDB estarão em coligações diferentes aqui no Estado?

Ângela - Não existe nenhum risco para a candidatura Dilma. Nas ações voltadas para a eleição presidencial, vamos trabalhar com todos os partidos aliados, tanto no plano nacional quanto na esfera estadual e nos municípios. Uma candidatura presidencial tem uma dimensão muito maior e comporta muitos aliados que, às vezes, têm divergências no plano local. Acredito que todos que querem somar com a campanha de Dilma estão pensando num futuro melhor para o nosso país, nossos filhos e netos. O PMDB e todos os demais partidos aliados serão bem vindos no palanque de Dilma.

Sobre o Autor:
Luiz Valério Luiz Valério - jornalista, professor e radialista. Atualmente atua como Secretário de Redação do jornal Monte Roraima. Também pode ser encontrado no Twitter e no Facebook
. Leia mais sobre o autor...
Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Ângela Portela e a corrida ao Senado. Uma entrevista "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.