Candidatos abusam da irreverência na corrida pelo voto

By Luiz Valério segunda-feira, 26 de julho de 2010
O brasileiro é conhecido pelo seu bom humor e irreverência. Essa característica está presente inclusive em momentos que requer muita seriedade, como no período de eleições. Dos 510 candidatos registrados no Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), 408 concorrem às 24 vagas na Assembleia Legislativa. É exatamente entre essas mais de quatro centenas de candidatos que estão os mais irreverentes. São pessoas das mais diversas classes sociais e de profissões variadas que abrem mão do nome de batismo para se lançar na corrida eleitoral usando apelidos engraçados, que fazem alusão à sua profissão, ao lugar que pretendem representar, à sua crença religiosa, a corporações militares e até a problemas físicos.

Num levantamento feito na lista de candidatos roraimenses no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), eu detectei nada menos de 95 candidatos com nomes incomuns. Entre os partidos que possuem candidatos com nomes engraçados, o que mais se destaca é o PSL, que registrou 21 postulantes com apelidos risíveis. Na sequencia vem o PV, com 10 candidatos. É lá que está, por exemplo, o “João Natureza”. Depois vem o PRP com oito postulantes a cadeiras na Assembleia com nomes divertidos, seguido do PHS, com seis e do PRB, com cinco.

Alguns desses apelidos chegam a ser hilários, como “Cascudo” (PRP), “Piçarra” (PSL), “Meu Nobre” (PSDC), “Peludo” (PRTB), “Porquinho” (PTN), “João Natureza” (PV), “Raimundo Caboré” (PRP), “Help, Feliz” (PRB) entre tantos outros. Muitos são os que se intitulam de “professor”, “dr”, “pastor”, “irmão” e por aí vai. A lista completa de candidatos pode ser conferida no site do TSE, no endereço http://www.tse.gov.br. Esses candidatos usam desse expediente com o objetivo de conseguir o reconhecimento público. Muitos deles são bastante conhecidos em suas comunidades pelas alcunhas que resolveram usar no registro de candidatura e esperam tirar proveito eleitoral dos seus apelidos incomuns.

Muitos desses candidatos irreverentes tentam demarcar território, assinalando no nome de guerra a comunidade que pretende representar em caso de vitória nas urnas. É o caso, por exemplo dos candidatos “Edvaldo do Santa Teresa” (PSL), “Negão do Primavera” (PRP), “Elson do Brigadeiro” (PSB), “Adilson do Asa” (PP) , “João do Santa Teresa” (PSL), “Patrício Mucajaí” (PSL), “Nonato da Serra da Moça” (PSDC) e “Vesta do Cambará” (PSL). Todos se colocam como porta-vozes dessas comunidades, que são bairros da capital ou localidades do estado.

Conforme disse Afrânio Soares, da Action Pesquisa de Mercado, de Manaus (AM), ao jornal Diário do Amazonas, “na vida normal, essas pessoas são conhecidas em suas comunidades, bairros, nos locais que frequentam. Muitos deles, se usassem o nome real, não seriam sequer identificados”. E assim, fazendo uso de irreverência, essas pessoas tentam sair do anonimato das comunidades para ganhar o palco público da política.

Entre bytes e tabelas na corrida pelo voto

Alguns desses candidatos de nomes incomuns já tiveram sua chance para atuar como legisladores e tentam uma nova chance, como é o caso do ex-vereador e presidente da Câmara de Boa Vista, “Marcelo Milenium” (PV), que adicionou ao seu nome a marca de uma concessionária de motocicletas, os ex-deputados estaduais “Marcos da Byte” (PRB), que usa como alcunha um termo da informática, uma vez que é proprietário de lojas de equipamentos para computador e cursos de computação, e “Presbítero Nazareno” (PSC), ligado à comunidade evangélica, e o ex-deputado federal “Luizinho da Tabela” (PSDB), e adotou o nome da sua concessionária de veículos.


Outros candidatos detém mandato eletivo e tentam se reconduzir ao parlamento estadual, fazendo uso dos apelidos que lhes alçaram a representantes dos roraimenses no Poder Legislativo estadual. Entre eles estão “Ivo Som” (PTN), ex-locutor de carro de som, o bicheiro “Naldo da Loteria” (DEM), “Sargento Damosiel” (PRP), policial militar, e o empresário do setor de turismo “Remídio da Amatur” (PR). Todos eles são deputados estaduais e querem retornar à chamada “Casa do Povo”. Na festa da democracia, os candidatos usam seu nome como uma fantasia para atrair os eleitores e conseguir chegar ao “podium”, após a contagem dos votos.

Confira outros nomes engraçados:

Carlos da Nega (PHS)
Irmã ((DEM)
Gilma O Popular (PHS)
Patric BMX (PP)
Maria da Avon (PRB)
Baiana (PSL)
Renato da Funerária (PV)
Loura do Bar (PSL)
Nara Borracheira (PV)
Zé dos Capotes (PSL)
Ildimar Sorvete (PSL)
SAG (PSL)
Flávio do Padre Cícero (PRTB)
Zezinho Som (PSL)
Sebastião Perneta (PRP)


Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Candidatos abusam da irreverência na corrida pelo voto "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.