Quando uma entrevista convocada por um candidato lhe custa muito caro

By Luiz Valério quarta-feira, 28 de julho de 2010
Certo dia do final de abril fui convidado para uma entrevista coletiva com o deputado federal Neudo Campos, então pré-candidato do PP ao Governo do Estado. Fui. Ao chegar lá não havia mais nenhum jornalista de qualquer outro veículo de comunicação. Eu era o único. O que era para ser uma coletiva, virou uma entrevista exclusiva.
Aproveitei a ocasião para fazer as perguntas que quis fazer ao candidato, desde se era verdade que ele tinha dinheiro escondido em paraísos fiscais, como se comenta nos bastidores, até se ele não tinha medo de ficar fora do páreo eleitoral devido aos mais de 20 processos a que responde na justiça sob acusação de improbidade administrativa. E seguindo as recomendações de ícones do jornalismo mundial como Truman Capote, deixei Neudo Campos falar muito. Falar tudo. Ele não se fez de rogado e disparou sua metralhadora giratória. Criticou o atual governo, disse ter certeza que se elegeria no primeiro turno contra Anchieta Júnior (PSDB) e que era vítima de injustiças que resultaram nos tantos processos que tramitam contra ele na Justiça.
No trabalho de edição, dei o devido tratamento às informações, valorizando a fala do personagem, pois o material coletado, do ponto de vista jornalístico, era bom, polêmico... Ao fim e ao cabo, dei para a entrevista o sugestivo título "Neudo contra-ataca". Pronto, estava montada uma polêmica peça jornalística.
Resultado: o advogado do PSDB Alexander Ladislau usou o material para mover uma representação eleitoral contra Neudo Campos por propaganda eleitoral antecipada. Desfecho: Neudo foi condenado pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) a pagar R$ 25 mil. Recorreu e, ontem, no julgamento do recurso, os juízes eleitorais reduziram a multa aplicada para R$ 5 mil.

Outro dia, logo após o primeiro julgamento da representação do PSDB contra o candidato progressista, encontrei Neudo Campos no lançamento da sua candidata a vice, deputada Marília Pinto (PSB), no Hotel Aipana. Neudo se dirigiu a mim e disse que bastou me conceder entrevista para ser processado. Lamento, pois só exerci o meu papel de jornalista. Atendi a um convite para uma entrevista coletiva e dei o melhor tratamento jornalístico possível ao material coletado. O momento é de oportunismo dos interessados diretos no pleito. Os adversários de Neudo usaram suas declarações para acusá-lo de propaganda antecipada. E ganharam. Agora Neudo afirma que vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para não ter que pagar a multa de R$ 5 mil. Eis aí os bastidores de uma das muitas histórias do jornalismo político local.

Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Quando uma entrevista convocada por um candidato lhe custa muito caro "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.