Quando uma coligação está impugnada e se ‘desimpugna’ em 120 minutos

By Luiz Valério terça-feira, 3 de agosto de 2010

Meus @migos,

Ontem à tarde, ao chegar ao Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), deparei-me com representantes do Partido da República (PR), sigla do deputado federal e candidato à reeleição Luciano de Castro, correndo da sala pra cozinha.

Tentei conversar com uma das representates do PR que estava em pânico sobre a situação, mas ela não quis adiantar nada. Disse apenas que se tratava de uma bomba que iria causar muito estrago. Pergunta daqui, fuça dali, investiga dacolá, descobri a causa de tanto desespero.

O TRE, a pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE), tinha impugnado toda a coligação “Unidos Por Roraima 2”, que comporta os candidatos a deputado federal e da qual o PR faz parte. A causa da impugnação foi o não cumprimento, pelo PSDB, do percentual de 30% das vagas destinadas aos candidatos para mulheres, como determina a legislação eleitoral.

Isso significa dizer que todos os candidatos a deputado federal dos partidos que compõem a coligação, PSDB e PR incluídos, ficariam impedidos de disputar o pleito. Ou seja, o próprio Luciano de Castro, que deu uma rasteira homérica no seu então parceiro de jornada política, deputado Mecias de Jesus, corria sério risco de ficar de fora do pleito de 3 de outubro.

O acórdão da decisão da impugnação da coligação “Unidos Por Roraima 2” seria publicado no Diário da Justiça Online às 19h de hoje. Ontem, segunda-feira (2), ao final da sessão do TRE, o presidente do Tribunal, desembargador Ricardo Oliveira, já havia alertado ao advogado do PSDB, Alex Ladislau, sobre o risco iminente de impugnação da coligação, pois o prazo para a correção da falha já havia expirado há algum tempo.

Eis que às 17 horas chega ao TRE o secretário do PSDB, Gerson Dez, com dois pedidos de registro de candidatura de pessoas do sexo feminino para que Ladislau assinasse e ele protocolasse na Secretaria Judiciária do Tribunal. Conforme o advogado Tucano, o prazo para o registro de candidatos remanescentes ainda vai até amanhã, dia 4. “Se o acórdão ainda não fui publicado e nós estamos entrando com os pedidos de registro das candidatas, a falha deixa de existir”, argumentou o advogado.

Quando deixava o TRE, Alex Ladislau confidenciou a este blogueiro-repórter que a decisão contrária à coligação “Unidos Por Roraima 2” seria refeita. Dessa forma, com o velho jeitinho brasileiro, uma decisão que se tinha por irrevogável deixou de ser publicada e uma coligação inadimplente foi salva pelo gongo.

Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Quando uma coligação está impugnada e se ‘desimpugna’ em 120 minutos "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.