MOZARILDO AFIRMA - Titulação das terras é feita de forma equivocada

By Luiz Valério sábado, 5 de fevereiro de 2011
De aliado a crítico contumaz do governo estadual, o senador Mozarildo Cavalcanti não poupa críticas à forma de administrar do governador Anchieta Júnior (PSDB), com quem rompeu relações em 2009 e se juntou ao grupo opositor. Para o parlamentar petebista, a polêmica em torno da questão fundiária ainda não terminou. Segundo ele, o repasse das terras está sendo feito de forma "equivocada". Mozarildo Cavalcanti afirma que o processo "com sérios indícios de corrupção e beneficiamento de grupos econômicos e políticos. É necessário investigar e acompanhar esse trabalho".
Assim como aconteceu com os senadores Romero Jucá e Ângela Portela, Mozarildo é o nosso entrevistado do final da semana. Com um detalhe: o senador foi econômico nas palavras. Foi direto ao ponto. Sem rodeios. Na conversa mantida com o jornal Monte Roraima, além da questão do repasse das terras, ele aborda temas como as alternativas de desenvolvimento para Roraima, seu futuro político e as prioridades que elegeu para essa segunda metade de mandato no Senado.
Para o senador, o agronegócio é "um caminho importante e seguro" para gerar desenvolvimento para o Estado. Mas ele alerta sobre a necessidade de se lutar pelo direito de explorar legalmente os recursos minerais abundantes em Roraima, assim como para fazer funcionar efetivamente as áreas de Livre Comércio (ALC) e a Zona de Processamento e Exportação (ZPE).
Sobre o caminho que deve seguir em 2010, quando serão realizadas as próximas eleições municipais, o petebista diz que vai permanecer ligado ao grupo político com o qual marchou na campanha de 2010. Disse que junto com os partidos aos quais esteve coligado vai discutir e escolher o melhor nome para disputar a Prefeitura de Boa Vista. Confira a íntegra da conversa na entrevista a seguir:

Monte Roraima - Senador Mozarildo Cavalcanti, como o senhor avalia a nova composição do Congresso Nacional? O Brasil ganha ou perde no que diz respeito à qualidade da representatividade nas duas casas legislativas federais?

 Mozarildo Cavalcanti - Avalio de forma positiva. Além dos 27 senadores, um terço do Senado que está no meio do mandato que vai até 2014. Os que foram eleitos agora são pessoas experientes, dentre as quais se inclui um ex-presidente da República, vários ex-governadores, ex-senadores e ex-deputados federais e estaduais, entre outros.  Portanto, o Brasil ganha com a nova composição do Senado.

MR - Quais vão ser suas prioridades para os próximos quatro anos de mandato?

Mozarildo - Tenho como prioridade do me mandato trabalhar pelo desenvolvimento da Amazônia, por meio de medidas urgentes e da elaboração, já em curso na Subcomissão Permanente da Amazônia e Faixa de Fronteira, que presidi até dezembro de 2010, de um projeto para implantação de um Plano Nacional de Desenvolvimento da região, especialmente, do nosso estado. Outros pontos que quero dar atenção especial nessa segunda metade do meu mandato é o combate à corrupção, a reforma para o aperfeiçoamento do atendimento à saúde e ainda voltar a atenção e ações para melhorar a qualidade de vida e renda de todos.

MR - E quanto a Roraima, especificamente, o que se pode esperar da nova bancada federal uma vez que o senhor está no Congresso há bastante tempo e sabe das dificuldades que se enfrenta para desempenhar um mandato, principalmente no início?
Mozarildo - Só dependendo do interesse e do trabalho de todos. Temos uma representação capaz de ajudar na construção de um Roraima melhor

MR - Por aqui se divulgou que o senhor estaria ensaiando uma aproximação do novo governo. Qual será sua postura em relação à presidente Dilma Rousseff?

 Mozarildo - Desde antes da eleição o meu partido e eu, fizemos um entendimento com o PT de Roraima e Nacional para apoiar o governo da Presidente Dilma, tendo como solicitação, e contrapartida, ações que beneficiem o nosso Estado e a nossa gente.

MR - Qual a sua expectativa em relação à nova gestão do governador Anchieta Júnior?

 Mozarildo - Lamentavelmente, não posso esperar nada diferente do que ele já mostrou no seu governo em substituição ao governador Ottomar: corrupção e incompetência.

MR - Uma pergunta que também fiz para os outros senadores: Ângela Portela (PT) e Romero Jucá. O senhor acredita que o agronegócio seja o único caminho para gerar desenvolvimento em Roraima ou dar incentivo à iniciativa privada pra atrair grandes empresas seria outra vertente a ser seguida? E como isso pode ser feito?

Mozarildo - Não há dúvida que o agronegócio é um caminho importante e seguro. Mas, temos também que agir para usar legalmente o direito de exploração dos recursos minerais abundantes no nosso Estado e fazer de fato funcionar as áreas de Livre Comércio (ALC) e a Zona de Processamento e Exportação (ZPE), além de incentivar a iniciativa privada e estimular a exportação.

MR - Por mais que se diga que ainda está longe, já são perceptíveis os primeiros movimentos para as eleições municipais de 2012. Qual será seu posicionamento em relação à disputa pela Prefeitura de Boa Vista?

Mozarildo – Vou permanecer aliado ao grupo político que participou das eleições de 2010, no qual o partido do prefeito se inclui e discutir e escolher o melhor nome para disputar a sucessão.

MR - Aliás, na sua visão, quais são os principais problemas sócio-econômicos tanto do Município quando do Estado e que precisam de solução urgente?

 Mozarildo – Penso que devem ser priorizadas as áreas da saúde, educação, segurança, moradia, saneamento básico, geração de empregos, limpeza e recuperação de nossas ruas em todos os bairros.

MR - Passada a polêmica questão do repasse das terras, o senhor acredita que o Estado de Roraima vai, finalmente, encontrar o caminho do desenvolvimento?

Mozarildo - Lamentavelmente, a polêmica não acabou. A titulação está sendo feita de maneira equivocada, com sérios indícios de corrupção e beneficiamento de grupos econômicos e políticos. É necessário investigar e acompanhar esse trabalho.

MR - Os números mostram que um senador custa muito caro ao país, assim como um deputado federal. O senhor acredita que os nossos representantes estão fazendo jus à confiança depositada pelo povo e às regalias a quem tem direito no exercício do mandato?

Mozarildo - Não concordo com a afirmação. O poder Legislativo Federal, composto por Deputados e Senadores, deve ter uma remuneração condigna para terem independência e segurança para fiscalizar o Poder Executivo, legislar em benefício dos Estados e Municípios e sem se verem tentados a serem marionetes ou tentados pela corrupção. Acredito que a grande maioria dos Deputados e Senadores são sérios e comprometidos com o povo que os elegem e, portanto, deverão fazer um bom trabalho.

PS - Esta entrevista foi publicada originalmente na edição deste sábado do jornal Monte Roraima.

Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " MOZARILDO AFIRMA - Titulação das terras é feita de forma equivocada "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.