Entevista com o procurador eleitoral Ângelo Goulart Vilela

By Luiz Valério sábado, 26 de março de 2011
ÂNGELO GOULART VILELA
‘O Brasil está mudando’

“A corrupção é uma mácula que não se erradica, não se extermina, pois a corrupção é inerente a sociedade, é inerente ao homem. O que devemos buscar fazer é mantê-la sob controle”. A afirmação é do procurador regional eleitoral, Ângelo Goulart Vilela (foto), personagem de atividade marcante nas eleições de 2010 em Roraima e que escolhemos para retomarmos a nossa série de entrevistas aos sábados no jornal Monte Rorima. Para o representante do Ministério Público Eleitoral (MPE), estamos experimentando, aos poucos, a redução da impunidade em nosso país. Ele afirma que estamos progredindo. O Brasil está mudando”.

Responsável por manter a ordem constitucional e jurídica nas últimas eleições, o procurador observa que “a corrupção eleitoral é uma praga que interfere no nosso desenvolvimento. O político que se elege comprando voto do eleitor não o representa, não defende os seus interesses. O seu mandato não tem legitimidade”. Mas ele não deixar de crer em mudanças positivas que, ainda lentamente, vão se processando no Brasil. Para ele Não há diferença entre o político que compra e o eleitor que vende o voto. “O eleitor que vende o seu voto, vende também uma educação de qualidade, vende um serviço de saúde digno, vende a esperança de um futuro melhor. E isso funciona como um ciclo vicioso”, afirma.
Ângelo Vilela observa que pelo fato do de Roraima ter o menor eleitorado do país não significa que seja mais fácil fiscalizar e conter os ânimos. “O pequeno número de eleitores torna a eleição mais disputada, o que deixa os ânimos mais acirrados. E em nosso estado a disputa eleitoral afeta diretamente a vida de nossa população, tendo em vista a notória dependência que grande parte da população tem frente ao governo”, frisa Ângelo Vilela. Confira a íntegra da entrevista a seguir:

Monte Roraima – Para começar nossa conversa, o que o levou a escolher a carreira de defensor dos direitos do cidadão, no Ministério Público?

Ângelo Goulart Villela - O Ministério Público sempre esteve presente na minha formação jurídica, pois orgulhosamente tenho como colegas de carreira o meu pai e o meu irmão. Além disso, o papel do MP como defensor da ordem jurídica e da sociedade sempre me seduziu, especialmente o Ministério Publico Federal, por ser uma das instituições de maior credibilidade e prestígio do país.

MR – Numa escala de 0 a 10, como o senhor avalia o grau de maturidade da democracia brasileira? O que ainda falta para evoluirmos nesse quesito, em sua opinião?

Ângelo Goulart - Numa perspectiva otimista, ao meu juízo, daria nota seis. A democracia em seu aspecto formal é plena em nosso país, pois temos eleições livres, voto universal e periódico, liberdade de imprensa, livre expressão de pensamento, entre outras garantias constitucionais. Todavia, ainda carecemos de uma democracia mais sólida em seu aspecto substancial, como o exercício mais efetivo da cidadania, fiscalizando e cobrando postura de nossos governantes. Além disso, o eleitor deve exercer o seu voto com consciência, escolhendo com mais rigor os seus representantes. O governo é o reflexo de sua sociedade.

MR – Para um procurador eleitoral, quais as principais dificuldades para manter a ordem ou fiscalizar um pleito em Roraima?

Ângelo Goulart - Roraima é o menor colégio eleitoral do país e isso, ao contrário do que se pensa, não torna o pleito mais fácil. O pequeno número de eleitores torna a eleição mais disputada, o que deixa os ânimos mais acirrados. E em nosso estado a disputa eleitoral afeta diretamente a vida de nossa população, tendo em vista a notória dependência que grande parte da população tem frente ao governo. Na esteira desses temperos, sem dúvida alguma, nossa maior dificuldade é combater a praga da corrupção eleitoral e do abuso do poder político.
“Em Roraima, o que mais impressiona é o fato da compra de votos ser aceita culturalmente como algo comum, ordinário” - Ângelo Vilela
Clique no link em vermelho e confira a íntegra da entrevista com o procurador eleitoral Ângelo Goulart Vilela. Ou copie da caixa de texto abaixo e leia onde e quando quiser. Se for reproduzir em algum lugar, não esqueça de dar o crédito.

Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Entevista com o procurador eleitoral Ângelo Goulart Vilela "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.