Browsing "Older Posts"

Uma semana com novas polêmicas

By Luiz Valério → segunda-feira, 30 de maio de 2011
Meus amigos e amigas, passo por aqui apenas para falar da minha
expectativa de que esta semana seja das boas.
Escrevo diretamente do meu Gmail para ganhar tempo, pois assim não
preciso estar com várias janelas abertas no computador.
Do meu email posso atualizar o blog, o Twitter e o Facebook sem
grandes problemas. Isso ajuda muito nessa vida corrida que levo.

******

Mas, voltando às expectativas da semana, vamos ver como os atores
políticos se comportam em nível local e nacional.

Essa semana devemos continuar assistindo os debates em torno do novo
Código Florestal e da polêmica envolvendo o ministro chefe da Casa
Civil, Antônio Palocci.

Por outro lado, a revista Época publicou o prontuário da presidenta
Dilma e criou nova polêmica.

Em âmbito local não dá para saber ainda o que vai rolar, mas
certamente continuará a brincadeira de gato e reato entre oposição e
situação na Assembleia Legislativa.

Vamos ver o que virá.

Uma boa segunda-feira a todos.

A quem interessa a redivisão do Brasil?

By Luiz Valério → sexta-feira, 27 de maio de 2011
Meus @migos,

A redivisão do território brasileiro voltou à baila no Congresso Nacional nos últimos dias, quando a Câmara dos Deputados aprovou e enviou à promulgação o projeto (PDS 52/07), no qual convoca o plebiscito sobre a criação do Estado do Carajás.

Para apimentar ainda mais o debate, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou o Substitutivo do projeto (PDS 19/99), de autoria do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB), que propõe a realização de consulta popular sobre a criação do Estado de Tapajós.

Dessa forma, é bem possível que dentro de pouco tempo o Brasil passe a ter duas novas unidades federadas, elevando o total dos atuais 26 estados para 27 mais o Distrito Federal.

Imagem reproduzida da Agência Senado

Um dos argumentos utilizados pelos defensores da redivisão territorial é que muitas falhas na administração do estado devem-se justamente à sua grandeza territorial. Aliás, esse é o principal argumento utilizado também pelo senador Mozarildo para a sua proposta de criação do Estado de Tapajós.

Mas há os críticos dessa visão, como é o caso dos senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Jorge Viana (PT-AC). Esses dois parlamentares têm dito, como contra-argumento, que a criação de novos estados vai resultar no aumento do gasto público com novas estruturas administrativas e a eleição de parlamentares. E isso é verdade.

É verdade também que o Brasil vive um momento positivo, de crescimento econômico e, como argumentam os críticos da proposta de redivisão territorial do Brasil, é preciso ter muito cuidado para não se criar despesas desnecessárias que possam resultar em problemas futuros para o país.

A criação de novos estados significará aumentar despesas com o pagamento dos membros dos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário -, além de requerer investimentos na criação das condições para a estrutura e funcionamento institucional das novas unidades federadas.

A situação é parecida com a que Roraima vive nos dias atuais, quando os deputados querem criar novos municípios, alegando a dificuldade que o estado de atender à população que mora nas comunidades mais isoladas, como é o caso do baixo Rio Branco.

Essas são medidas que me parecem ter mais pontos negativos do que positivos. Mas, como os políticos envolvidos nesses processos vislumbram a possibilidade de criarem mais cargos políticos dos quais poderão de beneficiar, é bem provável que essas propostas sejam aprovadas. E logo.

PS - Este comentário foi escrito para a coluna Política S/A, que mantenho no site Roraima em Foco.

Por enquanto, informação em pílulas

By Luiz Valério → quarta-feira, 25 de maio de 2011
Nesses dias de pouco tempo as novidades serão contadas em pílulas de 140 caracteres por aqui. Mas volto com textos mais longos a qualquer momento:

Meus olhos e meus ouvidos continuam vigilantes

By Luiz Valério →
Continuo fazendo as minhas observações sobre o mundo político, aqui deste pedaço do extremo Norte do Brasil.
Tenho escrito pouco aqui no blog, devido ao tempo escasso. Mas tenho visto e comentado muita coisa nas ondas do rádio, minha nova praia, meu novo emprego. Mas você pode me acompanhar na Coluna Política S/A, no site Roraima em Foco.
Os deputados estaduais continuam com a mesma pegada oposicionista e muitas vezes se estranhando e quase indo às vias de fato.
O senador Romero Jucá continua na mira da grande imprensa e se vendo obrigado a dar explicações sobre a sua evolução patrimonial.
Esses dias, a cena política por aqui tem sido alimentada por "mais do mesmo" sem grandes novidades.
Há gente incomodada com a atuação da imprensa. Sentindo saudades dos anos de chumbo, quando liberdade de expressão foi desrespeitada.
Aliás, aqui e alhures vez por outra surge algum político incomodado com a atuação dos jornalistas.
Sinto muito informá-los, cavalheiros, mas vivemos outro momento. A imprensa é o olho e a voz da sociedade e vamos lutar muito para que continue sendo assim.
Essas são breves anotações para matar a saudade desde espaço que tanto gosto.
Volto em breve.

Tudo o que a Prefeitura de Boa Vista disse sobre a Operação Alvorada

By Luiz Valério → terça-feira, 17 de maio de 2011
Nota de Esclarecimento

O Município lamenta que servidores tenham cometido irregularidades no exercício da função e vai aguardar a conclusão das investigações. Se for comprovada qualquer tipo de ilegalidade adotará as providências legais para punir os culpados.   
O Município também se coloca à disposição das instituições que estão apurando o caso para ajudar nas investigações, porque não compactua com atos ilegais e defende o zelo pelo patrimônio público.
PS - Essa nota foi emitida pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura, depois que eu busquei ouvir a versão do Município para o esquema de desvio de combustíveis. Ninguém quis falar e, então, foi emitida a nota que só agora pude postar devido a problemas com a internet.

Esclarecimentos sobre inverdades jogadas ao vento

By Luiz Valério →
Esse texto tem o objetivo de esclarecer algumas coisas que estão sendo ditas por aí, envolvendo meu nome, e que não condiz com a verdade. Pelo menos não condiz com a minha verdade:

[1] Não fui convidado nem participei de nenhuma reunião para tratar sobre assumir o comando do Monte Roraima numa nova linha governista.

[2] Tenho um jeito meu de trabalhar que me permite usar de independência, tanto assim que nas páginas do Monte Roraima sempre dei mais espaço aos reclamos oposicionistas do que a matérias de governo.

[3] Não sei fazer - mais que isso, me recuso a fazer - jornalismo chapa branca ou defendendo descaradamente apenas um lado.

[4] Tanto é verdade que andaram questionando por aí sobre "qual é a do Valério?" que um dia divulga matéria que um ou outro considera governista, no outro dia dá amplo espaço à oposição, e no dia seguinte faz crítica ao governo e oposição.

[5] A isso eu chamo de independência e honestidade intelectual, que conquistei ao longo de muitos anos de estudo e trabalho.

[6] Quando presto serviço para o governo, apenas presto serviço. Minha cosnciência e meu pensamento estão e sempre estarão inegociáveis.

[7] Não acredito em jornalismo que defende só um lado, sem ouvir as outras versões. Isso pra mim não é jornalismo.

[8] Hoje, mesmo apresentando programa numa rádio estatal - a Rádio Roraima AM -, tenho entrevistado pessoas que não são necessariamente alinhadas com o governo.

[9] Novamente: o nome disso é independência.

[10] Essa é uma marca da qual não abro mão. Independência e credibilidade se conquista e não se vende por qualquer preço. Mas poucos podem agir assim. São exatamente os que não veem no dinheiro a razão de tudo.

Polícia Federal desmonta esquema de desvio de combustível na Prefeitura de Boa Vista

By Luiz Valério →
A Polícia Federal desencadeou às 6 horas de hoje a Operação Alvorada, que culminou na prisão de quase duas dezenas de servidores públicos da Prefeitura Municipal de Boa Vista. Eles são acusados de desviar combustível (diesel e gasolina) do posto de abastecimento da Secretaria de Obras do Município e revender para particulares e empresários do ramo. O vídeo abaixo mostra como funcionava o esquema.


Ao todo, foram expedidos dez mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária, cinco de condução coercitiva e ainda 27 mandados de busca e apreensão. 

De acordo com a Polícia Federal, durante as investigações ficou constatado que “uma organização criminosa” integrada por servidores públicos realizava o desvio de combustível e o revendia para particulares e empresários do ramo, que pagavam o valor de R$ 1,80 pelo litro de diesel e R$ 2,30 pelo litro da gasolina.

Conforme informações da PF, o esquema tinha a participação de três operadores da bomba de abastecimento, dez motoristas oficiais e vários receptadores, dentre eles três empresas que aumentavam seus lucros comprando o combustível desviado.  

De acordo com o vídeo acima, os operadores de bomba realizavam os abastecimentos irregulares em recipientes acondicionados no interior de carros que eram conduzidos por motoristas oficiais do Município. Esses transportavam o combustível para os receptadores.

As investigações da PF comprovaram que faltou combustível por mais de uma vez, impossibilitando, inclusive, que o veículo do Setor de Zoonozes realizasse a captura de animais por conta do desvio ilegal.

Durante 42 dias de acompanhamento do esquema pela PF, ocorreu o desvio de 14.532 litros de combustível.  Há fortes indícios de que o esquema já dura há muito tempo. A Polícia Federal estima que tenham sido desviados em um ano mais de 91.000 litros de combustível.

Os envolvidos no esquema detidos pela Polícia Federal vão responder por crime de peculato, previsto no artigo 312 do Código Penal Brasileiro, cuja pena é de dois a 12 anos de prisão. Os receptadores, se condenados, poderão pegar pena de dois a oitos anos de reclusão, conforme o artigo 180, parágrafo 6º, do Código Penal.

O superintendente da Polícia Federal, Alexandre Saraiva, não forneceu mais detalhes da operação, como nome dos envolvidos – servidores e receptadores – e também não quis falar com a imprensa. 

Telmário quer ser prefeito de Boa Vista

By Luiz Valério → segunda-feira, 16 de maio de 2011
O vereador Telmário Mota está mesmo decidido a deixar o PDT para ingressar no PC do B, com o objetivo de se lançar candidato à Prefeitura de Boa Vista em 2012.

Ele disse hoje à tarde, no programa Estúdio Verdade, que apresento na Rádio Roraima AM – 590, que não está sequer preocupado em ser acusado pela direção do PDT de infidelidade partidária, o que poderia resultar na perda do mandato de vereador.

“Eu não quero mais ser vereador. Tenho me preparado desde o meu primeiro mandato para ser candidato a prefeito de Boa Vista”, afirmou o parlamentar.

Dessa forma, está extra-oficialmente aberta a corrida pelo Palácio 9 de Julho, sede do governo municipal.
Segundo Telmário, é preciso dar um basta ao “reinado” do mesmo grupo que vem dominando a Prefeitura da Capital roraimense há anos.

O vereador teve 40 mil votos como candidato a senador, nas eleições de 2010, e afirma estar convicto de que chegou a hora de voar mais alto.

Que este não seja apenas um sonho de Ícaro, caro Telmário.

17% dos roraimenses vivem na miséria

By Luiz Valério → sábado, 14 de maio de 2011
O número é alarmante. Dados extraídos do Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que 17% da população de Roraima vivem em situação de miséria.

São precisamente 76.358 pessoas que vivem com uma renda mensal de R$ 70,00. Esse dinheiro é insuficiente para assegurar as necessidades mínimas para que um ser humano tenha uma vida digna.

Desse total de roraimenses submersos na situação de miséria, 25.846 residem nas áreas urbanas e 50.512 estão abanados à própria sorte na zona rural. Daí o motivo dos programas sociais do governo arrastarem multidão ao longo de décadas nesse estado.

É exatamente o complemento de renda que representam programas como o Bolsa Família e o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), do governo federal, e o Vale Solidário, do governo estadual, que salvam essas famílias da fome absoluta.

Nos números do IBGE os valores recebidos por meios desses programas foram omitidos. Mesmo assim, e a despeito disso, é preciso que as autoridades governamentais em todas as esferas tracem políticas públicas para resgatar esses seres humanos da condição subumana em que vivem.

Num mundo movido a tecnologia, com riquezas sendo geradas e acumuladas por meio de arrecadações astronômicas por empresas privadas e governamentais, não é mais possível aceitar que 16,2 milhões de pessoas em todo o Brasil ainda sejam condenadas a vivem com o estômago roncando dia após dia ou mesmo sem ter acesso aos bens elementares para uma vida digna.

Fica aqui um grande motivo para a reflexão neste final de semana.

Para encerrar o assunto sobre o café da manhã com o senador Jucá

By Luiz Valério →
Não pensei que um simples café da manhã com um político fosse dar tanto pano pra manga. Mas deu. Ainda na sexta-feira 9, eu publiquei aqui no blog um comentário sobre o café da manhã oferecido pelo senador Romero Jucá (PMDB) à imprensa roraimense. Fiz algumas considerações sobre o evento e sobre a fala do senador que não foram do seu agrado. Ele me enviou, então, um texto educado, respondendo aos comentários do blog.

As considerações do senador ensejaram a participação do comentatista Wanderson, que lembrou de algumas situações que ele atribui à atuação do senador Jucá. Novamente, o político roraimense se sentiu impelido a apresentar novo contraponto e pediu publicação neste blog. Resolvi atendê-lo. E com as ponderações de Jucá ao comentário do amigo Wanderson encerro a pequena polêmica sobre o café da manhã com o líder do governo federal no Senado. Confira os novos esclarecimentos do senador Jucá:

Olá Luiz Valério,
Como defensor do bom debate, volto  a enviar comentário para seu blog. Agora,  sobre a manifestação do leitor que se identificou como “Wanderson”.  
[1] Consegui  recursos para 1 (um ) matadouro em Caracaraí, foi conveniado com a Cooperativa de Produtores. Não foi para frente. Defendo a retomada pelo Governo do Estado. Minha tarefa foi conseguir os recursos.
[2] O Restaurante Popular é um importante programa do Governo Federal.  A Dep. Teresa concluiu o restaurante da Pintolândia e, o pref. Iradilson o do Romeu Caldas. O programa é viável e funciona hoje em diversas cidades brasileiras. É importante poder oferecer alimentação barata à população. Espero que a prefeitura possa retomar os serviços, até porque uma parte dos recursos para manutenção é federal.
[3] Continuo ajudando o prefeito Iradilson. A maioria das obras que a Prefeitura está realizando hoje é com recursos que estou levando. Construção de casas, esgotos, drenagem, asfalto, canalização de córregos e a Vila Olímpica. Sou o parlamentar que mais leva recursos para o prefeito Iradilson, como levei para Teresa.
[4] Quanto ao FPM,  estou ajudando a prefeitura de Boa Vista nas tratativas com o TCU e Ministério da Fazenda. Além disso, estou fazendo uma nova Proposta de Lei para tentar resolver o problema dos municípios.
Agradeço a publicação - Romero Jucá
PS - A resposta do senador Romero Jucá me foi enviada na quinta-feira e só não foi publicada no mesmo dia porque o Google, que mantém o Blogger.com estava atravessando problemas para manter a plataforma de blogs no ar.

Quando um assunto puxa outro

By Luiz Valério → quinta-feira, 12 de maio de 2011
A publicação da reposta do senador Romero Jucá ao comentário feito por mim sobre o café da manhã com a imprensa ensejou a manifestação do leitor Wanderson aqui no blog. Reproduzo abaixo as considerações do comentarista do blog a respeito dos apontamentos feitos pelo senador. Leia e confira:
Caro Luiz Valério,
O Senador Romero sempre não se inclui como político que ajudou a contribuir pros erros históricos em Roraima. Vou citar 2 exemplos dos erros históricos do senador e de seu grupo político para que você confirmar se concorda ou não comigo.
1 - A construção de diversos matadores-frigorificos no interior do Estado com recursos de emenda do Senador, esses matadores nunca funcionaram. O Senador diria, "mas não é minha culpa! consegui os recursos". Entretanto, sabemos que ele deveria cobrar a efetiva utilização do bem público pela sociedade, pois o dinheiro foi pelo ralo, e todos os prefeitos beneficiados com os recursos, eram seus aliados politicos;
2 - A construção dos Restaurantes Populares pela Prefeitura de Boa Vista, com recursos de emenda do Senador. Esses restaurantes não foram inaugurados pela Prefeita Teresa Jucá, pois sabia-se por qualquer leigo que a prefeitura não teriam condições de mantê-las por muito tempo. O prefeito Iradilson inaugurou, por livre e espontânea pressão em função de sua reeleição. O terminal de ônibus é outro elefante branco.

Dessa forma concluo, perguntando ao nobre senador porque o Senhor não continua ajudando o Prefeito Iradilson? O nobre Senador entrou com ações na Justiça Federal para manutenção dos indices de repasse do FPM, mesmo sabendo que com o tempo não se manteria, pois legalmente não tem amparo juridico e no STJ ou STF seria derrubado. Obrigado pelo espaço
Agradeço ao leitor Wanderson pela contribuição.

Senador Jucá responde a comentário do blog

By Luiz Valério → quarta-feira, 11 de maio de 2011
Quase uma semana depois do "café da manhã" com a imprensa, o senador Romero Jucá (PMDB) entrou em contato comigo para responder ao comentário sobre o evento que escrevi aqui no blog. Reproduzo, abaixo, a nota que ele me enviou, assinada, direto de Brasília:
A o ler no seu blog os comentários sobre o Café da manhã que organizamos recentemente com a imprensa de Roraima, me senti impelido a fazer algumas considerações:
Como você mesmo observa cada um tem uma visão e entendimento do objetivo desta reunião e permito-me corrigir o que considero um erro seu de entendimento.
Na verdade, o objetivo foi muito mais estreitar o relacionamento com a imprensa de nossa cidade e possibilitar a cada jornalista fazer questionamentos em cima de uma pauta de ações parlamentares entregue aos trabalhadores da imprensa. Como você fez, aliás, sobre o Código de Mineração.
Não fiz este encontro para falar, como você ressaltou no blog, sobre a atuação dos governos passados no que diz respeito às questões políticas e econômicas de Roraima. Teci apenas um comentário de que o estado estava em dificuldade por conta de erros históricos. Mas, se você preferir, podemos marcar uma entrevista onde eu poderei detalhar quais são exatamente os erros históricos a que me referi e que tem a ver com a estruturação econômica que o estado necessitava.
Também não me senti incluído na “classe política local que foi responsável pelo atual estado das coisas”. Só como exemplo prático, na esfera na qual nosso grupo governou, temos a Prefeitura de Boa Vista. Na época de prefeita Teresa, nós transformamos a cidade na melhor capital do norte do país. E a estrutura que Boa Vista tem hoje se deve ao esforço, ao trabalho, as realizações da prefeita Teresa e graças aos recursos que consegui levar como senador da República.
Estou à disposição, para esclarecer quaisquer outras colocações que você venha a me fazer. Conto ainda com sua valorosa participação no próximo café da manha.
Um abraço - Romero Jucá

Municípios brasileiros recebem hoje primeira parcela do FPM de maio

By Luiz Valério → terça-feira, 10 de maio de 2011
O texto abaixo é da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Confira:

O primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de maio entra na conta das prefeituras nesta terça-feira, 10. De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), com o desconto do Fundo Nacional de Educação (Fundeb), o valor líquido será de R$ 3.380.585.256,60. Sem o desconto da Educação, em valores brutos, montante é de R$ 4.225.731.570,75.
Pelos cálculos da CNM, o repasse representa o segundo maior entre os primeiros decêndios deste ano de 2011. O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, lembra que o primeiro maior repasse foi em fevereiro e, em comparação com o mês de abril, o aumento é de 38,94% – valor bem acima da previsão mensal que era de 24% sobre o mês anterior.
O levantamento indica a recuperação do Fundo nestes primeiros meses do ano. A estimativa da Secretaria da Receita Federal para maio era de R$ 6,5 bilhões. No entanto ao considerar este primeiro repasse, certamente, o mês terá um dos maiores repasses do ano, indica o levantamento da CNM.

Veja mais detalhes aqui.

Seria teoria da conspiração apenas?

By Luiz Valério → segunda-feira, 9 de maio de 2011
Meus @migos,

Faz algum tempo que pessoas aqui e ali alertam para o fato de que a Amazônia pode estar sendo alvo de biopirataria, que é o roubo indiscriminado de espécies de animais, plantas e insetos nativos para venda no mercado externo ou para a realização de experimentos científicos.
Falou-se recentemente, inclusive, em hidropirataria, uma nova modalidade de roubo de um bem natural precioso para fins de comercio ou abastecimento de uma demanda externa. O bem roubado, nesse caso, seria a água dos rios da região que iria abastecer sociedades que enfrentam problemas com a falta de água potável para o consumo humano.
Ontem, o deputado Édio Lopes (PMDB) abordou o assunto em discurso na Câmara dos Deputados. Só que, segundo seu relato, estaria se dando por aqui uma espécie de biopirataria às avessas. Estariam trazendo espécies de insetos altamente danosos às lavouras do estado, para prejudicar o desenvolvimento de Roraima.
Se o deputado Édio estiver certo e, de fato, as pragas do àcaro vermelho, da mosca da carambola e da cochonilha rosada estiverem sendo deliberadamente importados para o estado, estaríamos sendo alvo não de biopirataria, mas de uma espécie branda de bioterrorismo. São todos termos novos, que até parecem tirados de filmes de ficção científica.
A pergunta que fica no ar é a seguinte: a quem interessaria impedir o desenvolvimento de um estado ainda em formação como Roraima? A economia desse pedaço extremo do Brasil ainda não assusta a ninguém e muito menos pode competir com outras grandes praças industrializadas ou mesmo mais desenvolvidas no campo da agricultura e pecuária.
Então, resta saber se o parlamentar disparou apenas um alarme falso, levado por uma espécie de teoria da conspiração, ou se ele tem razão e é preciso que fiquemos atentos a esses acontecimentos que levantam suspeitas tão sérias.

PS - Comentário escrito para a coluna Política S/A, que estará atualizada até amanhã pela manhã no site Roraima em Foco.

Prefeitos na mira do Ministério Público

By Luiz Valério → sábado, 7 de maio de 2011
Olá @migos,

O Ministério Público de Roraima tem dado mostras de que não está disposto nem um pouco a aliviar com os políticos gestores que fazem mau uso dos recursos públicos.

Somente esta semana dois prefeitos foram alvo de ações do MP, que os acusa de improbidade administrativa: James Batista (PC do B), que foi afastado da Prefeitura de São Luiz do Anauá, e Iradilson Sampaio, acusado de desviar verbas das multas de trânsito para outra finalidade. (Leia mais nas notas abaixo).

Essa atuação do Ministério Público é de fundamental importância para a moralização do mundo político, terreno em que a certeza da impunidade parece generalizado. Pessoas comuns cometem pequenos furtos, às vezes movidas por necessidade extrema, e vão parar na cadeia, antes mesmo do julgamento.

No, entanto, políticos de baixa e alta plumagem cometem delitos de grande monta com recursos públicos e ficam impunes.

Mas o Ministério Público vem, cada vez mais, apertando o cerco contra os maus gestores. Trata-se, a meu ver, de uma ação louvável, principalmente quando estamos às vésperas de um novo pleito municipal. Daqui a pouco muitos políticos enrolados com o Tribunal de Contas e com a Justiça vão se apresentar como candidatos a prefeito.

O eleitor precisa ficar atento aos sinais emitidos pelo MP. As ações contra os prefeitos que aplicam mal ou desviam os recursos públicos podem até não resultar em condenação definitiva, mas servem como uma sinalização dos órgãos fiscalizadores de que eles não merecem uma segunda ou terceira chance.

Portanto, fiquem de olho.

PS - Este foi o comentário que escrevi para a Coluna Política S/A deste sábado, versão online, publicada no site Roraima em Foco, do jornalista Gilvan Costa

Sobre o café de Romero Jucá com a imprensa

By Luiz Valério → sexta-feira, 6 de maio de 2011
Romero Jucá quer transformar o encontro com a imprensa num hábito

A pedido de um dos meus muitos contatos no Twitter e no Facebook, vou comentar um pouco sobre como foi o café da manhã hoje com o senador Romero Jucá (PMDB).

Como sempre acontece nesses casos, foi um daqueles momentos em que políticos de certa projeção querem mostrar para a imprensa o que tem feito, com o objetivo de ganhar mais espaço nas páginas dos jornais e nos programa de rádio e TV. Mesmo tendo um conglomerado à sua disposição, Jucá quer mais.

Mas ele foi sincero. Quero dizer, até onde um político consegue ser. Disse que quer ter mais proximidade com a imprensa. Falou da necessidade de se deixar as picuinhas políticas de lado e juntar forças para trabalhar por Roraima. (O discurso de sempre). O senador e líder do governo na Câmara Alta do País disse não ter inimigo político. Mas nem todos pensam assim. Principalmente aqueles que o consideram como inimigo número um.

Jucá também disse outra verdade. Afirmou que os problemas que Roraima enfrenta hoje vem se acumulando ao longo de décadas, “devido a uma série de equívocos políticos e econômicos”. Ele só não disse que foi a própria classe política local – ele incluído – que foi e é a responsável pelo atual estado das coisas. Afinal, quem teria cometido os equívocos políticos e econômicos? Os gnomos?

Jucá conversou de mesa em mesa com os jornalistas. Fez defesa de projetos de sua autoria e de outros que ele considera importantes para Roraima e para o País. Diretamente interessado no assunto, falou da necessidade de se instituir um marco regulatório para a mineração no país, inclusive regulamentando a exploração de minérios nas áreas indígenas.

 Como se pode ver, foi um encontro político como outro qualquer. Apenas uma conversa de um senador com a imprensa. Nada mais que isso.

Notas apimentadas #15

By Luiz Valério → quinta-feira, 5 de maio de 2011
COMUNISTA DEPOSTO
Não é que prefeito James Pereira Batista (PC do B), de São Luiz do Anauá, foi afastado do cargo por determinação do juiz Erasmo Souza de Campos? O magistrado concedeu liminar com antecipação de tutela a pedido do Ministério Público de Roraima. O gestor foi acusado de improbidade administrativa, após inspeção do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

COMUNISTA DEPOSTO 1
Junto com o prefeito James Batista foram afastados os secretários de Finanças, Jeová Silva de Melo, e de Educação, José Marco de Sá. Acabou sobrando também para os vereadores Valdeci Antunes, Jossileuson Alves Lima, Lucimar de Oliveira e Osvaldino Júnior Rodrigues, que acumulavam cargos públicos e foram arrolados na ação também sob acusação de improbidade. Os vereadores acabaram misturando alhos com bugalhos.

DENÚNCIA POPULAR
A ação do Ministério Público foi decorrente de denúncia feita por um morador de São Luiz do Anauá em novembro de 2010 ao TCE sobre irregularidades que teriam sido cometidas pelo prefeito James. Foi instaurado um processo e feita inspeção “in loco” para exames de documentos, quando se constatou procedimentos irregulares em processos licitatórios, convênios, além de situações ilegais de servidores públicos.

RAPIDEZ DE ADMIRAR
O afastamento do prefeito James Batista serve de lição para outros gestores públicos, mas chama a atenção pela celeridade do Tribunal de Contas e da Justiça – que nunca é célere - nesse caso específico. Geralmente irregularidades em convênios e licitações em prefeituras, quando analisadas pelo TCE, não resultam e afastamento imediato. Os contratos são analisados, as contas são apreciadas e esse rito geralmente leva certo tempo. Dessa vez tudo ocorreu de forma relâmpago.

RINDO À TOA
Quem deve estar rindo à toa com o afastamento de James Batista é o deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mecias de Jesus. Na campanha de 2008, James passou por cima do grupo político de Mecias feito um rolo compressor. Professor da rede pública, o comunista arrastou multidões e desbancou o candidato do grupo político do então presidente da Assembleia. Agora, prestes a concluir o seu mandato, James se vê em maus lençóis.

FLAMARION, O DENUNCIANTE
O deputado Flamarion Portela (PTC) apresentou mais uma denúncia contra o governo na sessão de ontem da Assembleia. Disse que uma empresa administrada por um parente do também deputado Jalser Renier (DEM) fornece alimentos para escolas e órgãos do estado e que há problemas no fornecimento.

MENINO DE OURO AUSENTE
Jalser não se encontrava em plenário para se defender. No entanto, é de conhecimento de todos os que vivem do dia-a-dia político em Roraima que pessoas ligadas ao parlamentar administram empresas em vários ramos de atuação.

TIRAR DO MARASMO
Quem assiste às sessões da Assembleia Legislativa tem comentado que os integrantes da oposição bem que poderiam apresentar também propostas para o desenvolvimento de Roraima. “Tão importante quanto denunciar e criticar é mostrar propostas que colaborem para tirar o estado desse marasmo”, diziam algumas pessoas na assistência. Fica a dica.

PESA MAIS...
Ontem o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB) falou sobre o papel de um senador. Disse que a Câmara Alta do país (Senado) é uma conquista. Destacou e que a estrutura federada do Estado brasileiro é cláusula pétrea da Constituição. Afirmou ainda a Casa participou ativamente nos avanços e recuos da marcha histórica do Brasil desde o escravismo até a democracia atual.

...DO QUE VALE
Pesquisas recentes mostraram, no entanto, que os senadores custam mais do que valem. Um senador recebe hoje um salário de R$ 26.723,13. Como se não bastasse o valor exorbitante, fruto do aumento de 61,83% com que se presentearam no último dia de funcionamento da Câmara e do Senado no ano passado, os nobres parlamentares recebem, além dos 12 meses de remuneração, da verba de gabinetes, do auxílio moradia e outras regalias, outros 14º e 15º salários. Enquanto isso, o trabalhador comum, que trabalha de verdade, ganha míseros R$ 545,00 por mês.