O joio e o trigo eleitoral

By Luiz Valério quinta-feira, 19 de abril de 2012
Acompanhando as articulações políticas com vistas às eleições municipais deste ano aqui em Roraima, tem-se a impressão que vamos assistir a mais do mesmo, no que diz respeito aos verdadeiros motivos que levam muitos postulantes a se apresentar para a disputa: projeto pessoal de poder.

Certamente tem muita gente bem intencionada, querendo contribuir para o desenvolvimento do seu município. Mas também tem os velhos medalhões da política, querendo empurrar mais um dos seus cupinchas para manter o domínio político local.

Grupos de partidos se juntam, levantando a bandeira do pensamento coletivo, do bem comum, mas logo surgem as fissuras, pois o que parece sólido, enxuto e coeso rui devido aos egos inflados e as vaidades pessoas. Pensar coletivo parece ser uma prática que está ficando pra trás. E o que era unido racha. Esfacela-se.

Certamente vão dizer que isso faz parte da dinâmica da política. Sim, faz. É característico dessa política pequena e mesquinha que tem empurrado o Brasil para o pântano fétido da corrupção.

Em muitos casos, impera o pensamento do “eu quero, eu posso, eu vou”. E dane-se a construção de um projeto de governança sólido, que resulte na melhoria das condições de vida da população. Os municípios interioranos de Roraima carecem de um líder político realmente preocupado em fazer essas cidades-vila se desenvolverem de forma sustentável.

Mas as discussões giram muito em torno de questiúnculas políticas, de egos magoados, dos acordos e acertos de campanhas passadas não cumpridos. Aos eleitores, cabe analisar com lupa o perfil de cada um dos pré-candidatos que ensaiam a coreografia da busca pelo voto. Certamente, virá por aí mais do mesmo: promessas que não serão cumpridas, falta de respeito à dignidade das pessoas e o olhar voltado para o que se poderá tirar em benefício próprio do exercício do poder.

Por isso, todo cuidado é pouco. Caros eleitores, comprem suas lupas antipicaretagem e usem o colírio da consciência cidadã para quando chegar a hora de escolher os futuros gestores e legisladores das suas cidades. Do contrário, virão mais quatro anos infrutíferos, tempo de sobra para chorar o leite derramado. Ainda de que de nada adiante mais
Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " O joio e o trigo eleitoral "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.