Browsing "Older Posts"

Prefeitura entrega notebooks e utensílios de cozinha para professores. Isso pode, Arnaldo?

By Luiz Valério → segunda-feira, 31 de março de 2014
Nesta segunda-feira (31) pela manhã, a Prefeitura de Boa Vista deu início à entrega de dois mil notebooks aos professores efetivos da rede pública municipal de ensino. Até aí ótimo. É preciso mesmo investir em educação, qualificando e instrumentalizando os professores e melhorando as condições de trabalho. Qualquer ação nesse sentido merece aplausos.

Agora, uma coisa no noticiário sobre essa distribuição de notebooks para os professores me chamou a atenção hoje ao meio-dia, enquanto eu almoçava. Numa emissora de televisão do grupo político da prefeita Teresa Surita (PMDB) foi veiculada uma matéria que dizia que, junto com os notebooks, os professores receberam também utensílios de cozinha e material esportivo. Como assim? Agora vão fazer educação com panelas? Vai ter aula de culinária nas escolas municipais? Isso pode em ano eleitoral, Arnaldo?

Todo mundo sabe que o atual secretário de Educação do Município de Boa Vista, deputado estadual licenciado Rodrigo Jucá (PMDB, o partido do papai) é o pré-candidato a vice-governador na possível e futura chapa encabeçada pelo atual vice, Chico Rodrigues (PSB). Entregar benesses em ano eleitoral pode, Arnaldo?

Golpe Militar completa 50 anos hoje. Vai aí a minha homenagem

By Luiz Valério →
Hoje o Golpe Militar de 1964, que os generais caquéticos chamam de “revolução”, está fazendo 50 anos. O governo dos militares impôs censura brava aos meios de comunicação brasileiros, torturou, matou e desapareceu com o corpo de muitos que lutaram contra aquele regime ditador virulento. Infelizmente, ainda há pessoas que sentem saudade dos militares. Hoje ouvi alguém dizer que a nossa democracia está capenga (e isso é verdade) e que gostaria que a ditadura ainda estivesse em vigência. É de lascar, mas é verdade. Em homenagem aos saudosos da ditadura, com todo respeito, vai aí uma música de protesto da época.

Alexandre ou Jucá? Quem desqualificou a Comunicação do Governo? Assessoria da Sesau assegura que foi o Jucá

By Luiz Valério →
A inauguração do Hospital de Rorainópolis (foto acima), no sábado (29) rendeu muito o que falar. O primeiro a discursar na solenidade foi o secretário Alexandre Salomão, que atribuiu a impopularidade do governador à incompetência da Comunicação Social do governo. “O problema é que a comunicação do governo é muito ruim. Este governo tem muito o que mostrar”, disse Salomão.

Nesse momento o secretário de Comunicação do governo, Rui Figueiredo, corou e deve ter desejado um buraco para se esconder. Quem esteve presente ao evento disse que Rui ficou com cara de muito poucos amigos.

Apesar do respeito que tenho por Alexandre Salomão, eu discordo das afirmações do secretário. Esse governo não aparece porque é ruim mesmo. Nem as publicidades pagas em horário nobre na mídia local ajudam o impopular governador José de Anchieta.

Lágrimas de crocodilo – Ao discursar na inauguração do Hospital de Rorainópolis, o governador Anchieta verteu lágrimas de... emoção. Aos prantos, Anchieta disse ter trabalhado muito pelo Estado de Roraima e que agora passaria o governo para o vice, Chico Rodrigues.

Sem equipamentos – O Hospital de Rorainópolis foi inaugurado no sábado, mas o seu centro cirúrgico vai funcionar no sistema meia-boca. É que o centro não está dotado de todos os equipamentos necessários, conforme disse um servidor da unidade.

Polêmica - Esse post tem causado muita polêmica desde ontem. Primeiro, uma colega a quem muito prezo foi extremamente indelicada comigo no Facebook, me chamando de mentiroso. Agora há pouco, recebi uma ligação de outra amiga, Rebeca Lopes, assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado da Saúde, pasta comandada pelo secretário Alexandre Salomão, por quem também tenho muita estima, afirmando que quem criticou a Comunicação do governo foi o senador Romero Jucá e não o secretário de Saúde.

Vou deixar as duas versões aqui no blog. Os leitores tiram a sua conclusão. Sei que a polêmica vai continuar.

Post atualizado às 9h41min.

Prefeitura abre concurso público para educação e segurança urbana

By Luiz Valério → domingo, 30 de março de 2014
A Prefeitura de Boa Vista divulga nesta segunda-feira, 31, o edital de concurso público para o preenchimento de vagas e formação de cadastro de reserva de cargos de ensino médio e superior. O concurso é voltado para as áreas da Educação e Segurança Urbana. São ofertadas 961 vagas.

As inscrições estarão abertas de 1º de abril a 11 de maio e poderão ser feitas no site www.funcab.org. O valor da taxa de inscrição para os cargos de nível médio é R$ 63 e para os cargos de nível superior é R$ 77. A previsão é que as provas tenham início no dia 1º de junho.

O concurso público é uma das metas do plano de governo da prefeita Teresa Surita. “Na educação, estamos abrindo vagas que não foram ofertadas em concursos anteriores. Vamos melhorar o atendimento nessa área, com a contratação de profissionais qualificados, para que tenhamos um ensino com novas perspectivas em nossas escolas.

Na segurança precisamos garantir mais tranquilidade à nossa população. A realização de um concurso público representa um grande avanço na administração do município”, disse a prefeita.

Os cargos previstos para nível médio são Assistente de Aluno: 418 vagas; Cuidador: 250 vagas e Guarda Civil Municipal: 80 vagas. O salário base vigente vai de R$ 470,00 a R$ 586,08 mais vantagens conforme a Lei Municipal nº 1554, de 28 de fevereiro deste ano.

Os cargos de nível superior são para Professor Arte Educador: 148 vagas e para Professor de Educação Física: 65 vagas. O salário mínimo vigente é de R$ 1.721,38 mais vantagens conforme a Lei 1554, de 28 de fevereiro deste ano.

O edital estará publicado no Diário Oficial do Município de nº 001/2014, desta segunda-feira, 31, e nos sites www.boavista.rr.gov.br e www.funcab.org.

*O texto é da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Boa Vista.

Vai começar a temporada de caça ao voto

By Luiz Valério →

Em ano eleitoral, deve chover promessas de postulantes a cargos públicos para a solução dos problemas que afligem a população dos municípios do sul de Roraima, como os de todo o estado.

O problema é que entra eleição, sai eleição, e as dificuldades crônicas porque passam os gestores e a população nunca cessão. Geralmente, as promessas são esquecidas tão logo termine a contagem dos votos e se conheça vencedores e perdedores.

Esse ano não será diferente. Logo, logo devem chegar à porta dos eleitores sulistas os “prometedores” profissionais, que tudo o que querem é galgar algum cargo público ou fazer legenda para que algum maioral consiga essa boquinha nos executivos e legislativos estadual e federal.

Por isso, é preciso ligar o desconfiômetro para detectar picaretas que não merecem nenhuma credibilidade.

Uma sugestão de parâmetro para analisar e diferenciar propostas credíveis das não credíveis é fazer as seguintes perguntas: quem foi que prometeu levar soluções para as pontes e estradas do seu município nas ultimas duas eleições? Quais candidatos garantiram que trabalhariam pela melhoria da educação do seus filhos nos últimos pleitos?

Quem fez promessa de melhorar a urbanização da sua cidade? E a geração de emprego? E a saúde? E as políticas públicas para a juventude? Quem prometeu e cumpriu ou deixou de cumprir? É preciso fazer essa análise fácil e prática para detectar quem são os labiosos enganadores.

A partir do mês de abril, todos aqueles que ocupam cargos públicos – com exceção de deputados estaduais, vereadores, vice-governador, deputados federais e senadores – devem se desincompatibilizar dos cargos para sair à caça de votos.

Logo, logo as visitas à sua casa serão frequentes por supostos bons samaritanos que querem devotar a vida para melhorar a qualidade da sua. Não, não sugerimos que você desacredite da política. Sugerimos apenas que você fique atento para que faça a escolha correta.

Afinal, o resultado de uma eleição vai refletir na sua vida e na vida de todos pelos próximos quatro anos. Errar o voto terá consequências negativas duradouras. E depois nada se resolve apenas com reclamação.

José de Anchieta, o governador mais impopular de Roraima

By Luiz Valério → sábado, 29 de março de 2014
Na próxima sexta-feira, dia 4 de abril, o governador José de Anchieta (PSDB) deixará o cargo (desincompatibilização) para poder concorrer à única vaga ao Senado que estará em disputa em Roraima. O tucano é o mais impopular governador do estado nas últimas duas décadas.

Além das recentes pesquisas que mediram a aceitação do governador junto à população, a impopularidade de Anchieta é medida pelas vaias que recebe. Não há um único evento que ele vá, fora dos muros do Palácio Senador Hélio Campos – sede do governo -, que não receba uma saraivada de vaias.

Dos últimos três governadores que antecederam José de Anchieta é de longe o menos querido. Neudo Campos, que governou Roraima de 1995 até 2002, foi um dos mais populares, mas entrou para a história do estado como o mais corrupto.

Ottomar Pinto, que governou Roraima por três vezes (de 1979 a 1983, de 1991 a 1995 e de 2004 a 2007) sempre foi tido como o pai dos pobres, mas ao mesmo tempo praticava um populismo barato e pouco fez para tornar Roraima um estado de economia sólida.

Flamarion Portela (2003/2004), fez concursos públicos, demitiu milhares de servidores que não tinham concurso mas depois foi cassado, cedendo o lugar a Ottomar. Também não foi muito popular, mas o atual governador é de longe o mais impopular.

Um mar de dívidas

Anchieta deixa o governo mal avaliado por vários motivos: em seu governo, o instituto de terras do estado (o Iteraima) fez lambança na titulação das terras repassadas ao estado pela União e o caso foi parar na Polícia Federal; em 2013 o governo gastou R$ 865 milhões a mais do que arrecadou; o governo também contraiu dívida de milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Lamentavelmente, o estado está no vermelho. O vice-governador, que concorrerá à reeleição, assumirá uma herança maldita.


Anchieta, por seu turno, não reconhece o endividamento, ainda que os fatos o denunciem. O que a imprensa nacional enxerga como dívidas, ele chama de investimentos. No entanto, tem faltado dinheiro até mesmo para quitar a folha de pagamento do estado. No sábado (29), o governo anunciou o pagamento dos servidores da administração direta. O dinheiro caiu na conta dos trabalhadores.

Aqueles que exercem suas funções nas autarquias e empresas de economia mista – como Codesaima, Iteraima, Detran, Companhia de Água e Esgoto de Roraima (CAER) e Centrais Elétricas de Roraima (CERR), etc. - vão receber o salário até o dia 10 de abril, conforme comunicado do próprio governo.

Entre os detratores do governador José de Anchieta, há aqueles que apostam no seu isolamento, depois que ele deixar o governo. Os integrantes da bancada governista na Assembleia Legislativa sempre se comportaram de acordo com as conveniências do momento. Onde estiver o poder, lá estarão os deputados roraimenses.

Chico tem um perfil diferente

O vice-governador Chico Rodrigues já deu sinais de que, quando assumir o cargo, conduzirá o governo de modo diferente do seu antecessor. Disse que vai mudar secretários e, com bastante tempo de antecedência, afirmou que pretende se aliar a grupos políticos e de mídia que sempre estiveram contra José de Anchieta.

Enfim, Chico Rodrigues vai costurar a governabilidade a seu modo. E, como é praxe nos rincões do Brasil, deve fazer alianças com deus e o diabo com o objetivo de se reeleger.

Uma mulher na parada

Rodrigues terá uma mulher como sua principal adversária na disputa pelo governo, este ano. A senadora petista Ângela Portela deve ser grande a novidade na disputa.

Ângela certamente contará com o apoio da presidente Dilma Rousseff. Chico Rodrigues está filiado ao PSB, partido do pré-candidato à Presidência da República Eduardo Campos. Em Roraima historicamente não é comum o detentor do poder da hora perder a eleição.

O problema de Chico Rodrigues é que ele não tem perfil executivo. Sempre foi legislador, desde seu primeiro mandato como vereador em Boa Vista. A seu favor, o candidato nato ao governo tem a vantagem de ser infinitamente mais simpático do que José de Anchieta. Aliás, esse sempre foi um dos motivos que fizeram do atual governador um campeão de impopularidade.

Revisado e reeditado às 23h36.

Luciano Castro diz que não recebeu convite para ser candidato a senador pelo grupo de Ângela Portela

By Luiz Valério →

O deputado Luciano Castro (PR) acabou de informar ao vivo no programa Bastidores da Política, da Rádio Tropical FM, que não recebeu nenhum convite formal do grupo de oposição - pelo qual a senadora Ângela Portela (PT) pretende disputar o governo de Roraima – para sair candidato a senador.

Castro afirmou que segue no grupo político que ajudou o governador José de Anchieta (PSDB), a se eleger em 2010. “E    u não fui convidado formalmente por nenhum grupo para ser candidato a senador. Isso não existe”, disse o parlamentar. Ele avalia que Anchieta fez uma boa gestão nos três anos em que esteve à frente do governo.

Luciano Castro salientou que segue firme em seu grupo político e que qualquer decisão será tomada em conjunto com o seu aliado, deputado Mecias de Jesus (PRB), com o qual recompôs a aliança recentemente.