Camâra realiza sessão solene para debater 50 anos do Golpe Militar

By Luiz Valério terça-feira, 1 de abril de 2014
 Sessão solene realizada na Câmara dos Deputados para marcar os 50 anos do golpe e os 21 anos de regime militar foi encerrada por causa de tumulto. Grupos contra e a favor dos governos militares trocaram acusações no plenário da Câmara nesta terça-feira.

A sessão contou com a participação de deputados e familiares dos desaparecidos políticos. Um grupo favorável ao regime militar, também esteve presente. Uma faixa parabenizando os militares pelo golpe de 64 foi estendida na galeria do Plenário.

A confusão começou quando duas participantes: uma contra, e outra a favor, dos anos de ditadura, se agrediram. A sessão precisou ser interrompida. Para a deputada Luiza Erundina do PT de São Paulo, o tumulto foi causado porque a Câmara autorizou a presença de militares.

“A atitude aqui da Casa revela bem isso. Não se tomou posição a respeito se é a favor ou contra a ditadura, no fundo é isso. E a gente precisa aperfeiçoar, rever a lei da anistia, e criar outros mecanismos para que concluam o processo da democratização, que está inacabado, está incompleto, lamentavelmente”, afirma a parlamentar.

A sessão foi retomada, e Jair Bolsonaro, que é militar, subiu à tribuna. Parentes dos desaparecidos viraram de costas para o deputado do PP do Rio de Janeiro. A sessão foi suspensa novamente. O deputado Amir Lando, que presidia a Mesa pediu aos que não quisessem ouvir Bolsonaro, que se retirassem, ou virassem para frente. Foi em vão.

 "Eles atingiram o objetivo: é cassar a minha palavra, como eu sempre digo, quando eu falo aqui a esquerda é torturada, e eu não falo nada da minha cabeça, falo apresentando fatos, documentos, eles não admitem isso”, protestou.

Amir Lando do PMDB de Rondônia afirmou que foi impossível continuar a sessão. Segundo ele, o sofrimento dos parentes dos desparecidos é justificado, mas é preciso cumprir as regras do parlamento.

 “As feridas sobretudo daqueles que sofreram na ditadura, dificilmente, essas cicatrizes ficarão sãs, mas eu tenho que conduzir uma sessão com o regimento, fora do regimento não há salvação, não há conduta que se possa levar adiante a termos de comportamento dos presentes. Quer dizer eu entendo que a manifestação é legítima, mas o respeito à lei e a ordem é mais legítimo ainda”, completou.

Reportagem de Lane Barreto, de Brasília.
Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " Camâra realiza sessão solene para debater 50 anos do Golpe Militar "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.