Faz 12 anos que atuo como jornalista em Roraima. Venho de uma boa escola, o Jornal O POVO, de Fortaleza, um dos mais prestigiados do Nordeste. Durante esse tempo, tenho me conduzido de forma a não contrariar as normas que regem a profissão. O trabalho árduo tem sido a minha rotina diária, sempre buscando exercer a profissão com a dignidade e altivez que ela merece. Sem me dobrar a quem quer que seja, sem baixar a cabeça por causa do salário ou do poder que está em torno da atividade jornalística sempre a pressionando.
Desses 12 anos, passei por vários veículos de comunicação locais (impressos, digitais, radiofônicos, televisivos, além de assessorias). Desse tempo, dez anos foram compartilhados paralelamente com o público por meio do blog Política com Pimenta, página de notícia e opinião que me orgulho de manter há uma década. Sei que muitas pessoas já desgostaram e ainda desgostam do conteúdo que escrevo, mas, sinceramente, eu não tenho intenção nenhuma de agradar a quem quer que seja com o blog. Faço-o porque tenho vontade de fazer. Simples assim.
O blog existe como um lugar onde eu deposito as informações que apuro ou que me chegam, minhas análises e opiniões sobre o mundo político que cubro a 15 anos, repito, 12 destes anos nesta terra macuxi a mim muito bem acolheu. O blog já me rendeu inimizades, ameaças e pelo menos um processo. Mesmo assim não abro mão dele. Tenho a consciência que o mantenho com dignidade e honestidade. O Política com Pimenta é uma espécie de cartão de visitas meu. Muita gente me conhece por causa dele.
Pois bem. Ontem publiquei uma nota, falando sobre a crítica que o secretário de Saúde, Alexandre Salomão, teria feito à comunicação do governo (a informação me foi repassada por um amigo jornalista que esteve presente na solenidade de inauguração do Hospital de Rorainópolis, sábado (29)). Hoje, a Assessoria de Comunicação da Sesau (Secretaria de Estado da Saúde) entrou em contato comigo, informando que não foi o secretário quem criticou a Comunicação do governo, mas o senador Romero Jucá (PMDB), aliado do mandatário José de Anchieta. A crítica não é minha, mas poderia ser, naturalmente, se tivesse motivo.
Afinal, vivemos num país que me confere a ampla e irrestrita liberdade de expressão. E nós, jornalistas profissionais, que gostamos tanto de criticar os outros (gostamos porque eu me incluo no rol dos jornalistas críticos), precisamos a aprender a conviver com a crítica ao nosso trabalho também. Não somos oniscientes. Nem infalíveis. Nem imune a erros ou imperfeições. Muitíssimo pelo contrário. Na pressa inerente à profissão nessa era digital erramos, e muito. Lembro-me que também fui demonizado quando ousei escrever a coluna Imprensa Urgente, no jornal Roraima Hoje, diário que funde junto com meu amigo Nei Costa, mas que seguiu um rumo sobre o qual prefiro nem falar.
Mas no caso da crítica em tela, apenas reportei a suposta fala do secretário. Durante esses 12 anos em que atuo na imprensa roraimense, passei a conquistar contatos por todo o estado, muitos deles na região sul de Roraima, onde faço circular, junto com o empresário Osmar Morais, o periódico Roraisul, que também foi concebido por mim e o Osmar e que é muito bem aceito por lá.
Naquela região tenho muitos e muitos contatos que me passam informações diversas. Sobre tudo e sobre todos. Não publico nem 10% do que recebo. Por isso, não admito ser chamado de mentiroso. Principalmente por pessoas que sempre tratei com respeito e consideração. É preciso saber que para cada fato há várias versões e nenhuma versão de um fato é, em si mesma uma verdade, absoluta nem de longe. É apenas uma versão. Mas vamos para a frente. A vida é cheia de surpresas.
Luiz Valério

Sou Jornalista e blogueiro. Há 20 anos cubro o mundo político, boa parte desse tempo escrevendo em blogs na Web. Moro em Roraima há 15 anos. Já desenvolvi vários projetos na área do jornalismo. Apaixonado por tecnologia, tenho especialização na Área. Agora nos encontramos por aqui.

No Comment to " EDITORIAL - Para cada fato há várias versões. E nenhuma delas é a verdade absoluta nem de longe. É preciso aprender isso "

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.